terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Versos alados

I

Como os seus, meus versos
vibram com jogadas diamantes

São servos
do verde da natureza

das tramas humanas, um retrato
do mal, ou do bem

II

Meus versos, como os seus
buscam as goleiras como  saída

São dados

Lançados
no jogo da vida


III

Mesmo após o apito  final
aos momentos bons
brindaremos

Inclusive
aos que se perderem pela linha de fundo


IV

Como os seus, meus versos
buscam o descanso nas redes

São folhas ao vento no outono

Neste
ou em qualquer outro mundo

13-12-2016

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Desejos inaudíveis

Brotam sílabas

Que fazem
todo sentido

Despudoradamente

Por detrás
Dos teus ouvidos

09-12-2016

Fotografia, dezembro de 2016



quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Miniconto futurista

Sim, eu aposto na Lotofácil.
Uma vez por semana, no mínimo, sou ressarcido do valor do bilhete. Quer dizer, de quatro a oito reais, dependendo do número de acertos ( onze ou doze dezenas).

Virá o tempo, em que a Receita Federal irá me questionar, desejando saber de onde está vindo esta
"fortuna".

Eu perguntarei ao fiscal, se para os parlamentares do meu país, o procedimento será o mesmo.
Ou seja, no que diz respeito ao confronto entre rendimentos e patrimônio.

Ele responderá que este assunto é com outro departamento.

01-12-2016

Conversa entre ruas

Quase calado


Espreguiça-se o silêncio
No sábado

01-12-2016


sábado, 26 de novembro de 2016

Visitas

As horas vieram me dizer
Que estão, um pouco, agoniadas

Deve ser
Por causa da anunciada tempestade

Na sala, eu escuto um estranho burburinho
Seres alados habitam a chaminé

Meu café necessita imediata atenção

Da mesma forma, o canarinho da terra
Ele voa pela casa

Tento apanhá-lo, ele é veloz
Frágil

Graças ao encontro dos rodapés
Na terceira tentativa, tenho sucesso

Com o cotovelo, faço correr a janela
Estendo os braços para a liberdade

26-11-2016

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Beira-mar

Dentro de uma gota de mar
mora um poema azul

No fundo do azul
há memórias de mar

Em praia deserta
a lágrima se esparrama pela areia

Brisa que vem do mar
é como cantiga de sereia

São tantas as maravilhas do mar, ao dia
as da madrugada, a gente inventa...


14-11-2016

domingo, 6 de novembro de 2016

Observações do vazio XXVIII

Que você seja
Como um vira-lata mutilado

Um cão mutilado
Nunca se rende

06-11-2016

Piperácea

Acariciava os mamilos dela o tecido
Como se fosse um meticuloso artesão

Pouco a pouco
Nutria-se o algodão dos seios

Espontaneidade sem fim
Início, ou meio

Duas vertentes de vida
Harmonizavam com o vermelho da calcinha
Que encobria os pelos pubianos

Tão lento era o movimento
Que o dia desejaria ser ano

06-11-2016

Fotografia, novembro 2016

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Carruagem de Febo

Chega cedo o sol
Pra cavalgar a duna

Apesar das manchetes
Dedos tremem
Corações disparam

Rios seguem seus cursos

Há a timidez do mar
Diante da velocidade da escuna

Quando uma das velas é içada
Por amor

27-10-2014 e 01-11-2016


quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Poema sem título II

I
A imaginação
Prefere curvas às retas

Cria de antemão
Clareia visões encobertas

II

Desordena lençóis
Propõe descaminhos

Dá luz aos atóis
Encanta  passarinhos

III

Pela paz, ou na arte
Veste fantasias

Se chega, ou se parte
Baunilha é o sabor de seus dias

12-10-2016

terça-feira, 4 de outubro de 2016

Diário de bordo de um capitão alienígena II

Esses seres do século XXI, nas ruas

As cabeças encerradas nos capuzes dos moletons
em dias de insuportável calor

Olhos vidrados
cravados nas telas dos celulares

Ansiosos

Recusando-se ao abandono do útero materno

***

Assusta-me a ideia
de me apoderar de seus corpos

04-10-2016

domingo, 2 de outubro de 2016

Adormecidas

Palavras, em mim, adormecidas
Guardam em si
Tua nua essência

São partes minhas por nascer
A partir de tua existência

02-10-2016

Fotografia, outubro de 2016

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Bob Dylan

Ele
Emite sons

Como aqueles
De um cão ferido
Mutilado

Canta a ausência, a falta

Pra onde a viagem  nos leva
Desde os anos 60
Ele soube

Geme, amordaçado, recluso na cidade
Depois de ter sido como personagem de Kerouac

Ele sorri como alguém
De tarefa bem terminada

Vejo seu rosto
Tomado de nossas cicatrizes
Indispensáveis

Poucos não perecem
Dylan é um deles

************************

Sounds

Like a wonded dog, mutilated
Sings the absense, the lack

Where the journey take us
Since the 60s
He knew

Groans, gagged
Recluse in the city
After being as Jack Kerouac

He smiles as someone
Well completed task

I see his face
Making ours scars
Essentials

Few not die
Dylan is one of them

27-09-2016

domingo, 25 de setembro de 2016

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Ipê-gente

Sorri pra mim
a jovem flor de Ipê-roxo

Apesar de
estatelada no chumbo da calçada

Como poderia chorar
se namora tal pano de fundo

E tem como algoz a chuva amante

A lhe banhar o corpo nu
na madrugada...

06-10-2013, 23-09-2016

Fotografia, outubro de 2013

domingo, 18 de setembro de 2016

sábado, 3 de setembro de 2016

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Esgrima

"Levante os pés, enquanto passa a vassoura"
Soa como uma senha

Dá ingresso ao imaginário

Contínuo ato
Virtualmente concreto

Anunciação de um anjo
Pra matar de inveja a rotina

"Levante os pés, enquanto passa a vassoura"
Há um florete nas mão de Marina

24-05-2010

Fotografia, agosto de 2016

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Aforismo XXXIX

Pigalle,  boêmio

Esgueira-se pelas sombras
Como quem foge da claridade do dia

Até esparramar-se nos braços da noite

17-08-2016

Fotografia, agosto de 2016

terça-feira, 2 de agosto de 2016

sábado, 30 de julho de 2016

O livro da face XVII

Esperteza e Inteligência

Um político chamou um livre pensador de "esperto".

O mesmo respondeu:
"Esperto é você, eu sou inteligente".

30-07-2016

sábado, 23 de julho de 2016

Aforismo XXXVII

Uniões e separações

Uniões e separações
são adaptações a novos espaços
..............(mentais e físicos).................

23-07-2016

sábado, 16 de julho de 2016

Vozes correntes

"Poetas detêm a chave que abre todas as portas"
"São mestres na arte de amar"
"Desvendam os mistérios das almas"

***

Diz-se
Que seus lampejos de escrita teriam a beleza das auroras boreais
Causando inveja nas guerreiras Valquírias
Cujas armaduras refletem os raios do sol

Quase nunca é mencionado, porém
Que eles não querem saber de muita coisa
Que eles não se consideram geniais

***

Poetas gostam de enveredar-se pelos atalhos
Que conduziriam a um suposto Éden
(fantasiado de "pressa de viver")

16-07-2016

William T. Maud
A cavalgada das Valquírias, 1890


sexta-feira, 15 de julho de 2016

domingo, 3 de julho de 2016

Magnólia

Magnólias curtem o frio
Resistem ao calor

Corre o tempo
como a correnteza do rio

Persiste a beleza da flor

03-07-2016

Fotografia, julho de 2016

sábado, 2 de julho de 2016

Efemeridades

Parte do leste o vento
que aporta na  manhã sulista

Diferente do minuano, que açoita a pele
ele é inimigo do ar polar

O vento leste não sacrifica os que pernoitam ao relento

Quando ele bafeja
o barco da existência iça as velas

O dia dá boas vindas à calefação efêmera

Move-se o leme, a proa aponta para um novo curso

Viaja a música pelas escotilhas escancaradas, invoca a bandeira da trégua, hipnotiza os súditos da pressa

As gralhas rasgam o céu, mudando de uma araucária pra outra

Toda vez que o sol esquiva-se de uma nuvem inoportuna,
o bem-estar geral dança tango, jazz, rock and roll, flamenco, samba, blues...

02-07-2016

terça-feira, 21 de junho de 2016

Líquida

Te quiero zumo sal, solo

****

Com leite condensado e canela
Sofisticada, se tua saia dança coqueteleira

***

Te quero cristal açucarada
Quando eu for teu copo hospedeiro

***

Pero, también
Te quiero vino

***

Tinto
Rubí pálido o intenso
Con todos sus besos âmbares
Calientes

***

21-06-2016 e 21-12-2010

Fotografia, junho de 2016

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Bons tempos

.................................................Re.....................
bo...............................................................
.............................bi...............................................
..................................................................na................
.....................va........................................................
..................................................-se.................................

10-06-2016

Fotografia, Junho de 2016


quinta-feira, 9 de junho de 2016

Aforismo XXXVI

Segredo da felicidade :

O segredo da felicidade é viver, no inverno
na linha do Equador, ou próximo dela

No verão
em São Joaquim SC

09-06-2016

terça-feira, 7 de junho de 2016

Observações do vazio XXIV

Sem agasalho, cobertor
e, no mínimo, um prato de sopa superaquecida

Não dá pra imaginar a "estética do frio"

07-06-2016

Fotografia
O cair da tarde, junho de 2016



sexta-feira, 3 de junho de 2016

Observações do vazio XXIII

Nas minhas andanças
Espelho meu

Tenho encontrado muitos velhos
De espírito mais jovem

Muitos jovens
De espírito mais velho

Do que o meu

03-06-2016

quarta-feira, 1 de junho de 2016

O que dizem as folhas

Parece que, um dos ensinamentos do outono
é de que "beleza dá trabalho"

O amor, qualquer que seja sua forma, dá muito mais
e não escolhe estação

Será ele imune ao bolor, à decadência?

Ou os duros dias existem
para nos lembrarem que, apesar deles
o verbo amar é como o vento...

Não sei
esse tópico pertence a outro capitulo

Pois agora é tempo de prestar atenção no farfalhar das folhas
tentar resgatá-las da frieza do chão

01-06-2016

Fotografia, maio de 2016

terça-feira, 24 de maio de 2016

segunda-feira, 23 de maio de 2016

sexta-feira, 6 de maio de 2016

Mãe e filha

Duas poesias vagam pela praça

A pequena
Só quer confusão

A grande
Que é uma graça

Leva a outra
Pela mão

06-05-2016

quinta-feira, 5 de maio de 2016

Modelo

Mesclado a traços de pinceis
Um prazeroso registro

No andar do tempo
Um pseudo açoite

Antes tela
Agora carne

Fundem-se dias às noites

05-05-2016




segunda-feira, 25 de abril de 2016

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Feixes de blues

De modo difuso
As luzes
Adentram na mata

Pouco a pouco
Confessam segredos

Vão driblando todas as solidões

20-04-2016

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Impulso

Trinta mil rotações por minuto
No meu mundo imaginário

Giro
Anti-horário

Anseio
Que você me rastreie

Que me abocanhe
Com sua arcada fatal

Lobo marinho, foca
Desatento, nado na superfície

Sou caça
Sua vítima
Iguaria sem igual


14-04-2016



terça-feira, 12 de abril de 2016

domingo, 10 de abril de 2016

domingo, 3 de abril de 2016

Pegadas de abril

Na ausência de versos, dos breves textos, da poesia
Imagens confortam-me

Nelas busco refúgio, esperançoso
Mesmo que as cores, naquele instante, não estampem meu interior

É quando, de certa forma, atravesso o espelho das horas
Viajando de carona na resignação

Ciente de sua raridade
Confio no inesperado, habitante das estradas vicinais

Ele é um  retrato em branco e preto, no qual a gente lê colorido

03-04-2016

Fotografia, abril de 2016



sábado, 26 de março de 2016

Observações do vazio XX

Ao invés de
Pedir que não se demonstre medo

O dono do cachorro deveria
Respeitar o medo do transeunte

Ou encoleirar a si mesmo

26-03-2016

sexta-feira, 25 de março de 2016

The Stones are Rolling yet

................62............................1970....................80.........................90

2000....................010..........................016 (Cuba)...........................

.................020........................

26-07-2013 e 25-03-2016

terça-feira, 15 de março de 2016

Sopro de oração

Asa
Braço de rio ao luar

Que tenhamos sempre direito à descoberta

No breu, que haja esperança
Faça-nos alerta

Revele-nos as portas
Que alumiem nossas veredas

Quando parecerem extintas
As chamas dos candeeiros

15-03-2016

domingo, 13 de março de 2016

sábado, 5 de março de 2016

quarta-feira, 2 de março de 2016

Puerícia

                   I

Há dias
Em que vejo sonhos

                II

Recheados de doce-de-leite
Goiabada
Marmelada
Pessegada
....................
....................
               
                  III

Devem ser aqueles
Que se tornam realidade
Nas tardes de sábado

02-03-2016




terça-feira, 1 de março de 2016

The Rolling Stones

Desde mil novecentos e sessenta e dois
Rolam pedras
Nos palcos da vida

Línguas insolentes, filhas do Blues
Sempre em alta

They rock, they roll
Pelo mundo afora

Se eu não fosse João Luís
Gostaria de ser seixo que rola

17-12-2011 - 01-03-2016

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

domingo, 21 de fevereiro de 2016

Voce

Você, com seu pincel
Deveria pintar o circunflexo

Porque, sem ele, não sou verso
Como sem pincel, não há você

21-02-2016

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

sábado, 6 de fevereiro de 2016

Porto Alegre

Morei no Centro
Em Petrópolis

No Alto da Bronze
Na Cidade Baixa

No Menino Deus
No Bom Fim

 Entre tantas ruas, avenidas, travessas
Fernando Machado, Oswaldo Aranha, Cauduro

Ainda roubam versos de mim

06-02-2016

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Beira-mar

Repetidas vezes
Sentamos frente ao mar

Com este contador de histórias
Conversamos

Perguntamos

Mesmo impertinente
O mar nos escuta
Responde

Pessoas
Nem sempre

01-02-2016

sábado, 23 de janeiro de 2016

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Errantes

De que servem algumas palavras no crepúsculo
Se elas não abrandam teus suores

Imprecisas setas
De ababelados cupidos

Antes omiti-las

Vigiá-las nos alforjes
Até a madrugada, ao menos

15-01-2016

sábado, 9 de janeiro de 2016

Sã Insanidade

Senhores dos minérios
Burocratas

Dependentes
De metrôs e concreto

Vós esqueceis das fantasias

Do verde da natureza
Dos rios
Que dão vida ao deserto

09-01-2016

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Cabo Branco

Dobram-se ao vento sul coqueiros e bambuzais
enquanto
a erosão marinha molda falésias

Alheias à paisagem
mulheres rendeiras batalham pelo pão

Recorro às palavras guardadas na memória
mas sua sala de máquinas apega-se à calmaria
como se acompanhasse o ritmo urbano de um domingo

Então
a maré, pouco a pouco, envolve barcos  preguiçosos

É quando o mar nos navega

04-01-2016

sábado, 2 de janeiro de 2016

Miniconto I

Ao avistar o lixo, ao longo de todo litoral brasileiro
Após as comemorações do ano novo

O piloto de uma nave alienígena comentou: "tsc, tsc, tsc..."

02-01-2016

sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Aforismo XXXIII

Holanda

País
Onde fogos de artifício não são bem-vindos

Meu cachorro, que se chama Jack, e eu nos sentimos bem aqui

01-01-2016

Fotografia
No Jordan, em Amsterdam