domingo, 30 de maio de 2010

Quem sabe

Quem sabe eu entenda

Que o show segue um roteiro

Em vez de querer

Que minha música toque de uma vez

***

Quem sabe eu aprenda

A tocar meu próprio violão

***

Quem sabe eu cesse

De tanto me cobrar

***

Quem sabe eu cresça, um dia...

30-05-10

terça-feira, 25 de maio de 2010

Garça ao óleo

Tingem-se minhas penas

Com o líquido escuro


Era meu o mar do planeta

Agora humanamente inviável


Eu canto

porque o momento exige

Nem mais pena eu sinto

25-05-10

domingo, 23 de maio de 2010

Imortais

Azar o de quem

Nunca tomou um porre

Não teve uma paixão, um vício


Pensa que não morre

Nem viaja no próprio hospício

23-05-10

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Alicerces

Do sertão com filhos à tiracolo
Atrás de uma vaga pra recepcionista
Um pouco poeta, um pouco artista

Lavando roupa, cantando
Ou, por necessidade, se prostituir
Parece drama de cinema
Mas é alicerce de país

20-05-10

quarta-feira, 19 de maio de 2010

terça-feira, 11 de maio de 2010

Petit Paquet

Tô aqui

Tentando formar uma linda frase

Pra te impressionar


Se ela não vier

Mando-te minha alma

Pelo correio

11-05-10

Pês

Poesia e Projeto não se cruzam

Ela é marginal

11-05-10

Férias de verão

Figada,  Marmelada, Goiabada, Pessegada...

Lá em casa, fazia-se em tachos de cobre comprados dos ciganos
A leitura das linhas das palmas das mãos vinha de brinde

Nosso futuro era sempre promissor

Os grãos de uva cozinhavam, até esquecerem-se que eram grãos
Açúcar, vinha do armazém, em sacos de sessenta quilos, caia em avalanche

Mexe que mexe com a pá de madeira!
Da fervura vinha o aroma

Quando atingia o ponto, meu pai passava para os coadores
Extraia o suco e engarrafava

Só de olhar dava água na boca
Na hora de beber, ele dizia:

Suco de uva  "engrossa" o sangue !

11-05-2010

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Motivo

Meu bom dia acorda cedo
Meio abobalhado, com vontade de você

Acho que é pra ver
Se você passa pela minha rua
Assim, ela se enche de graça

07-05-10

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Eu mesmo, múltiplo

O que me gera é o pensamento

Dependo do exercício de imaginar


Quero saber navegar nas minhas marés
Ser comparsa de meus ventos


Quero meu dia a dia, sem o faz de conta

Intruso mel(fel) à meu habitat

06-05-10

terça-feira, 4 de maio de 2010

Lua cheia

Uivos, são queixas

De rochedo pra mar

04-05-10

Chapado de sentimento

Tuas luas, como as minhas

Saem para lobos uivarem

Se elas falassem de solidões

Soariam aos ouvidos dos planetas

Feito notas musicais

04-05-10

Meus sinais

Sou a minha própria armadilha
Erro por aí
Fujo dos editais

Meus regulamentos, descaminhos
Partem numa caravana sem rumo
Sou a solução que sonha demais

04-05-2010

domingo, 2 de maio de 2010