terça-feira, 30 de outubro de 2012

Velocidades

Derrete-se a cera nas asas de Ícaro, acima de nossas cabeças

O tempo ignora continentes
Não lhe vemos a cor dos olhos

30-10-2012

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Desde a placenta

Enquanto a gente nada
Contra e a favor da correnteza
Aconselha-se a tirar o melhor proveito da vida
Procurando nela beleza
Mesmo que esteja escondida

26-10-2012


quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Raptor

O Rio de Janeiro atrai muitos amores
Outros tantos conquistará

O que tem ele, que eu não tenho
Nem carece perguntar

Tenho ciúme desse Rio
Seu carisma tanto que me agride

Chama as musas para perto
Deixa o ponto de interrogação no meu cabide

Quem sabe, um dia eu me mude pra lá
Inspire-me, onde Vinícius de Moraes escrevia, de punho

Só não sei se vai dar certo

O Rio é de Janeiro
Eu sou de junho

24-10-2012

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Poemagma

Vem queimando as veias
Em erupção

Meu sangue se parece com um "morreria, ainda bem que não"
Traveste-se de felicidade, até que resfrie

23-10-2012

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Dó, ré, mi e tem Sol

Ao volante é que chegam a mim pequenos receios

Assisto o filme de minha memória no para-brisa
Ladeado por um colorido natural, que engole o asfalto

Por segundos, os retrovisores concedem-me o perdão

A magia , que vem do rádio, devolve-me à realidade
Então, eu me pergunto:
De que planeta vieram certos iluminados compositores?


19-10-2012


quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Hábitos I

Sem palhaço
pipoca

Arte, pimenta

O circo humano
não se sustenta

17-10-2012


Tudo bem

Pra me machucar
Vieram me contar
Que tens alguém
E eu, tudo bem
Mentira

Pra te esquecer
Vieram me dizer
Que tuas pernas
Outras entrelaçam
Que tuas coxas
Roçam outros pêlos
E eu, tudo bem
Mentira

Pra me resgatar
Vieram buzinar
Que despertas com alguém
Amas esse alguém
E eu, tudo bem
Mentira

Vieram me matar
Que isso não se faz
Que sou geminiana
Que tenho vinte e poucos anos
Que quero ser feliz

Que saudade é vão
Dentro de abismo
Dentro de outro vão
Dentro de mim, vazia
E eu , tudo bem
Mentira

17-10-2012

domingo, 14 de outubro de 2012

Classificados

Troca-se uma tarde de domingo por uma migalha de fé

14-10-2012

Traços da noite

Na penumbra
As curvas do violãozinho remetem à escala musical

Ousa-se
Pela fresta da persiana uma nesga de luz

É quando
Seu corpo deixa escapar um último Lá (maior).

14-10-2012


sábado, 13 de outubro de 2012

Poema singelo

Minha visão de mundo
É a mesma que você sonha
Sem correrias medonhas
Nem egoísmos profundos

Nada mais nos toca
Quem sabe, um novo planeta, novo sistema
Talvez, voltar para as ocas

Aqui, é agora!
Competição e consumo
Adulto não é criança
Por isso, não muda o rumo

12-10-2012

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Nadiesda

Certos nomes, quando concebidos
São envoltos em delicados mantos

Talham-se para o sussurro ao pé do ouvido

É como se a pluma de  uma rara ave
Ousasse um passeio atrevido pelo corpo

Cada  letra pronunciada

Corresponderia, da pele
A um arrepio

11-10-2012

terça-feira, 9 de outubro de 2012

A des(h)armonia das coisas

O céu  está repleto de nuvens indecisas
A grama, as árvores, as flores permanecem tímidas
O coro de bem-te-vis parece fora de tom

Mas como, não é primavera? (pergunto eu)
O allegro de um sabiá, em dissonância com a natureza, responde:
"Abra o coração, nós lhe revelamos o poema"

09-10-2012

domingo, 7 de outubro de 2012

Roda de chuva

Banho na rua é como roda de samba que acontece de improviso
É atrasar a saideira

Esquecer o relógio a semana inteira
Pra se encantar com um sorriso

07-10-2012

Coffee (with brandy) break

I

She walks around the Blues corners
It hurts her every step

II

She smiles at me, she fakes
But she doesn't go back to the cage


III

To your arms
To your flaps

07-10-2012

Fotografia, outubro de 2016

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Monólogo

Essa coisa, de traçar objetivos...
Não sou eu, quem dá ritmo às horas

O dia percebe, eu sigo adiante
Do jeito dele

05-10-2012

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Desvairados

Feito faca, o grafite risca a prancheta
A cabeça viaja para longe da sala de projetos

O mundo pulsa lá fora, a fábrica parece um presídio
Como são desvairados os sonhadores
Como são sonhadores os trabalhadores...

02-10-2012

segunda-feira, 1 de outubro de 2012