domingo, 28 de junho de 2015

De flor em flor

Coração e suas válvulas
A gente entrega
Como peça de lã

Em mãos
Ao morador de rua
Que deita no gélido basalto

Ele será acolhido
Como o pólen levado pelas abelhas
Livre de involuntários desvios
Sem esperar algo em troca

28-06-2014

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Bar 1

No canto, o espelho

Às minhas costas
Agitam-se coqueteleiras com gin

No extremo do bar, um sorriso luar
Um brilho no olhar

Lã e novelo
Agasalho, enfim

24-06-2015

Observações do vazio V

Prega-se o fim da pobreza
Lá do alto

Convoca-se um cabeleireiro particular
Para voar, a cada quinze dias

De São Paulo ao planalto

24-06-2015

domingo, 21 de junho de 2015

Ortovisão

Do seu jeito, a morena me diz:
"Veja os trapézios nos dentes como uma imagem lúdica"

Esqueci-me da dor
Quando me larguei porta afora
A cidade estava tomada de brinquedos

21-06-2015

Fotografia, junho de 2015


sábado, 20 de junho de 2015

Viajante noturno

Ao redor do prédio verde
Erguem-se as mais belas esculturas

Versos
Brotam como raras pinturas

Não há, nas cercanias, nenhum sorriso
Que possa enfeitar o quadro

Mesmo assim, meu dedo modela no ar
O contorno dos teus lábios

20-06-2015

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Observações do vazio IV

Gente que permite submeter-se à lobotomia é mais "alegre"

18-06-2015

"Trabalho"

Só três dias por semana
Nas terças, quartas e quintas

Acontece em Brasília
Um faz de conta que se pinta

Do país, zombam os nobres sacanas
Enquanto a plebe paga a tinta

18-06-2015
            
Fotografia, junho de 2015

terça-feira, 16 de junho de 2015

terça-feira, 9 de junho de 2015

domingo, 7 de junho de 2015

sábado, 6 de junho de 2015

Pacto

Há um cadeado
Onde estão gravados os nomes
Da poesia e meu

Em tempos de descartes banais
Comigo permanece
Ela não tem dono

Eterna
Reinará ela em mim
Sob a vigilância da cidade

Até o dia
Em que queira desprender-se
De nossa Pont des Arts

06-06-2015

quinta-feira, 4 de junho de 2015

Pêndulo

Adentras nossas casas
Cansado de oscilar por aí

Andas sempre apressado
Somos espelhos de ti

Se a noite beija os lábios da aurora
Conte-nos sobre o mundo lá de fora

Relógio
Dá sentido a teu existir


04-06-2015

Fotografia, julho de 2015

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Bilhete

Tamareira

Do fundo do meu peito
Você arrebatou
Os mais caros adjetivos

Arrastou consigo
As mais preciosas pedras palavras

Por isso
Eu lhe denuncio como ladra

Janeiro de 2014

Fotografia, junho de 2015

terça-feira, 2 de junho de 2015

Ofício

(Des) atar
(Des) construir

Ao vento, o pó
Ao marinheiro, o nó

Redigir, labutar

Aventurar
Fazer em aclive
O que a vida nos leva a baixar

02-06-2015