quarta-feira, 30 de julho de 2014

Desjejum

Vagamos pelos bairros
Súditos dos desejos

Seremos uma sombra de dois corpos
Por acaso

Sob o sol da manhã

30-07-2014

Fotografia, julho de 2014

domingo, 27 de julho de 2014

Oculto

Quase nada
Tenho indagado do amor
À espreita, ele circula

Amor sabe a hora
De reabastecer-nos
De não escutar seu nome,  em vão

27-07-2014

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Senhora

Mulher
Como a onda
Que na pedra quebra
Perseverante

Foz

Feita de água
Sal, areia, vento
Tenaz dama

Tudo cheira a mar
A seu  habitat

Do corpo que chama
Ela, a voz

24-07-2014

Herança

Fica a obra
De quem coloca a alma nela

Senão, nada fica

24-07-2014

terça-feira, 22 de julho de 2014

O livro da face XXXI

Se votar é sagrado
Pessoal e tão importante

Porque a "nossa" urna eletrônica
Não imprime o comprovante?

22-07-2014

Polinização

Quem não beijaria
Teus tantos
Fartos

De cálido suco cobertos
Salivados
Lábios de amor...

22-07-2014

Fotografia, julho de 2014

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Narcose

Cheiro de mulher bonita
Viaja no ar, muito discreto
Disfarça-se de alçapão
Pra atrair amor secreto

Ela é perfume de flor
Ponta de espinho

Brinca de amar no colo do vento
Seu passatempo no caminho

17-07-2014

Fotografia, julho de 2014

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Mulher bonita

Perfume de flor
Ponta de espinho

Brinca de amar no colo do vento
Seu passatempo no caminho

16-07-2014

Fotografia, julho de 2014

sábado, 12 de julho de 2014

O livro da face XXX

Incomoda-me ser-- mais um-- escravo do hábito

"Coragem, não me falte"!
"Você é a chave dos meus cadeados".

12-07-2014

quarta-feira, 9 de julho de 2014

O livro da face XXIX

A dor mais intensa vem da piedade do oponente

09-07-2014

Glote

Uma pequena mala atrás da porta
Escova dental, fotografias
Mãos catando chaves
Afoitas como bicho encurralado

Peito ainda na alcova

Certezas, somente duas

Que imagens são perguntas, nunca respostas
Que o trânsito matinal parece um verso engasgado

09-07-2014

sexta-feira, 4 de julho de 2014

OFF-ON

Chego na cidade
As folhas dançam em torno dos troncos
Obedecem o  ritual de todos os anos

Busco no bolso do casaco  o endereço do hotel
O som de uma serra elétrica me atinge, neste instante
Eu me desligo

Haverá um próximo samba, um drama
Um romance
Um novo blues

Eu me ligo, adentrei ao saguão

Não, não escrevo o que eu sou
Busco o que faz falta em mim

04-07-2014

Fotografia, julho de 2014

quinta-feira, 3 de julho de 2014

O canto

Quando uma ave rara
Tão bela, tão querida
Cantar para seus ouvidos
Tocar seu coração

À procura de respostas
Em vão
Você vai abrir seus livros
Consolar-se com amigas

Você não é feita de pedra
Apega-se

Encontrar-se-á com rios
Ornamentados de afluentes
Vai confundi-los com suas veias
Vai pegar carona na correnteza, libertar-se

Enquanto o tempo tece teias
Você vai mudar

Terá, então, percebido
Como  canta um pássaro ferido

03-07-2014



quarta-feira, 2 de julho de 2014

Das vontades, das saudades

Das maiores, a vontade
É a saudade que se tem
Da pessoa, a qual a gente não conhece

Saudade, a gente não explica
Pra não doer
Mais do que já dói

02-07-2014