sábado, 28 de março de 2015

Aforismo XII

Pecado :

Pecado é o que foi inventado
Pra você sentir-se culpado
Enquanto alguém fatura Din Din
Simples, assim

28-03-2015

quinta-feira, 26 de março de 2015

Vocábulos ao vento



                              I
Verde
Azul
Branco
                              II
Mar
Chuva
Garoa
Névoa
Morno
Sol
                              III
Pele

Couro
Ninho
Caldo
Feijão
Passarinho
Tempero
Grão
Vinho
                               IV
Fumaça
Queijo
Marzipan
Beijos
Ovos
Moles
Quentes
Coxas
Nhã  Nhã   Nhã

                                V
Teso
Late
Lateja
Dia
Noite
Loba
Uivo
Cio
Cobrir
Bom
Edredom

26-03-2015


                                 

quarta-feira, 18 de março de 2015

Bambaleante

Arranha minha pele
Revira meu ouvido

Jura que sou
Seu amor bandido

Quando ela me toca
Sou como artista

Ando na corda
Sem rede
De equilibrista

18-03-2015

quarta-feira, 11 de março de 2015

Sementes de paineira

Camaleão, o semáforo assume o verde
Meio a ruído de motores, poeira e folhas de jornal
Emerge o éden

"Neva", e estamos no outono
O asfalto, quente e negro, é como tapeçaria bordada
Coberto de flocos

Coloco-me no centro do turbilhão formado pelo vento
Um branco balé, à luz solar, sustenta meu transe hipnótico

Visto um par de olhos inúteis
Surfo no arco-íris sobre pranchas de algodão

Em outra dimensão, atendo ao chamado das buzinas
Estou pronto para desbravar a cidade

11-03-2015

Das perguntas e respostas

E, as poesias, como andam?

Andam como a gente
Do jeito delas

11-03-2015

segunda-feira, 9 de março de 2015

domingo, 8 de março de 2015

Navegar

Pelos mares deste mundo
Navegar
Nunca em linha reta

Rumo a paisagens incertas
Que podem ser reais

Atracar em portos  repletos de fantasias
Zarpando de fictícios cais

08-03-2015

sexta-feira, 6 de março de 2015

Por onde anda o acaso?

Você tem andado por aí
De esquina a esquina reina o deserto

Cheira todas as flores dos jardins
Menos a sonhada
Que você desejaria, estivesse perto

Seus lábios repetem: "Quem sabe aconteça na beira do mar"
Saguão de aeroporto
Num bar
No plim! da mensagem seguinte

Eles parecem uma estação de rádio
Carente de ouvintes

Você não dorme direito
Gostaria de ser outra pessoa
Porque feitiço de amor-perfeito
Não se desfaz, assim, à toa

06-03-2015

A ponte

Ele renascia a cada toque nas teclas
Naquele sofá

Sono agitado
Efeito rebote dos anestésicos

Vestia boina de lã
Sorrisos e frases desconexas
Era o seu galope no pseudo-transe

Nas suas prosas com algum druida descobrira a fórmula da paz

Depois da travessia, as novidades seriam promissoras
Precisava de um sanfoneiro a banda do lado de lá

06-03-2015

terça-feira, 3 de março de 2015

Haicai

A pena acredita
Que a alma
Navega na escrita

03-03-2015

Fotografia, março de 2015

Verso estático V

Como quem
No café da manhã

Depara-se com uma pequena aranha
Passando manteiga numa migalha de pão

03-03-2015

O sistema

Devo apartar conflitos
Entre realidade e fantasia

Contratar consultorias
Para que o produto final
Venha a ser poesia

Estarei, assim, inserido
Nos termos da mídia individual
Aguardam-me fama e cacau
Neste éden, convenientemente,  escondido

03-03-2015


domingo, 1 de março de 2015

Gaia

Incondicional
Único, cristalino

Animal

De tantos raros adjetivos
Namorado

Dela o amor é tão
Delicado

01-03-2015

Fotografia : M. Eliana
Modelo: Gaia

Março de 2015