segunda-feira, 28 de maio de 2012

domingo, 27 de maio de 2012

Maçã mordida

Navegas nos mares das polpas
Bicho do meu apreço
Mensageira das manhãs

Sou fogueira de junho
Na tarde, adormeço
Homem passado a limpo

Anoiteço em brasa
Até os cílios da tua madrugada
Pesarem de tanto querer

27-05-2012

terça-feira, 22 de maio de 2012

Tempo

Sinto o tempo no cinto

22-05-2012

Estiagens e cheias

Não se explica o amor
Ele nasce fonte, deságua mar

A poesia não é cúmplice dele
Ela é arte
Bálsamo para as chagas

Somos as rachaduras na terra árida, as folha na correnteza do rio
Os peixes que lutam contra ela

22-05-2012

domingo, 20 de maio de 2012

Lente

Ao confrontar-me com uma palavra do meu gosto
Ela se torna uma rainha
Um certo amor  ascende-me

Bela, luminosa fonte
Grande angular
Amplia meus horizontes

20-05-2012

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Camuflagens

Caem máscaras à meia-noite nas portas de Paris
De mãos dadas, peste e cura rondam a cidade

Meu corpo nunca esteve ali no cadafalso
Talvez, a alma como um aríete invista sobre os portões da cidadela

Quando amanhece, nada se passa
São invisíveis as portas de Paris

18-05-2012

domingo, 13 de maio de 2012

Despedidas

Ainda vejo sua face
Uma lágrima pronta pra seguir a outra, quando o ônibus partia

Ela era como a estrofe de um blues
Que fica ecoando nos alto-falantes das estações rodoviárias
Todas suas alegres e tristes aflições

A outra parte da canção, o refrão
Ia comigo pra capital, vive dentro de mim junto com ela
"Procure ser feliz, meu filho"!

13-05-2012

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Sublimitate

Veja a cerejeira
Nada é mais generoso que uma árvore

O tom do verde depois da chuva
Natureza que abranda luto

Repare na cor da terra
Se ela puder escolher, prefere paz
Em vez da guerra

A gente procurando pela cura
E ela sentada na areia, olhando o sol se pôr

11-05-2012

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Só aqui

Sessão SECRETA de CPI

10-05-2012

Pausa de si

Ela senta no vaso sanitário, ensaia uma pose inspirada no pensador de Rodin
Um pavimento acima, a descarga da privada abafa o ruído do tráfego
"Meu pai no sanatório, nunca fez mal à uma formiga", é tudo o que ela pensa

"Não deveria ser desse jeito", lamenta

Anseia pela hora da mudança
Pela linha do Equador, pelos olhos do mar, a lutadora ainda respira

10-05-2012

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Ter a Pia

Os trovões das candidatas à metrópoles nos põem insanos
Porém, botecos são acústica (mente) isolados

09-05-1012

domingo, 6 de maio de 2012

A lua tá tão cheia porque cansou de ser fotografada

06-05-2012

Chamado dos atóis

Dissipa-se a neblina
Soltam-se o cabos de proa e popa
O motor rosna algo sem tradução, animalesco
Como se reclamasse pelo sono interrompido

O bote ruma leste, direto para o centro do sol, contornando a baía

Quando nossos olhares fogem da luz e de azul se completam, ele toma o rumo nordeste
Parece que atende o chamado da aventura

À estibordo ancoram pesqueiros santistas, sempre escoltados pelo marfim das gaivotas
O casco da nave é seguro e o cara do leme sabe o que faz

Eu vejo morenas sereias nos arrecifes
Elas ajeitam seus cabelos no espelho do mar

Brincos vivos nadam entre os corais
Nestes dias, querem Anfitrite e Netuno que nos ocupemos dos cristais

06-05-2012

terça-feira, 1 de maio de 2012

Otário brasileiro

Paga as contas e se ferra
Honesto senhor, bom caráter
Com os impostos você se arrepia
Nasceu aqui, entrou numa fria

Na política, só serpente
Gente vivendo de sujo trôco
Você pensa que está louco

Bem-vindo ao lar doce lar
O último golpe rola na tela
Tranca o rango no bucho
Ou vai vomitar na janela

Volta quietinho pra sala
Manda os filhos pro quarto
Amanhã será um novo dia
Vai trabalhar! Vai Votar! Vai pagar o pato!

01-05-2012.....Dia do trabalho