terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Certezas

                      I
Somos grãos de areia nas dunas
Que o vento teima em levar

Somos nós nas agitadas espumas
Navegamos sobre olhos do mar

                   II

Irmãos dos rochedos
D'água, do sal
Corsários, se enfrentamos os medos
À mercê do bem e do mal


                   III

Somos vultos no cais do porto
Barqueiros, filhos da aurora

Somos intangíveis moluscos de agosto
Náufragos, quando ao abandono das horas

29-12-2015

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Cenapoema V

Trôpego
Regado à cachaça

Botas enlameadas
Pompom adernado no teto

Meio sem graça
Cumpre Noel a jornada

De saco repleto

18-12-2015

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Olhando nos olhos

Se, em jogo
Não estivessem bens imóveis

Se
Dívidas brotassem das cômodas

Se
Zero fosse o saldo da conta bancária

Se
Imperasse o desemprego

Se
Crédito no cartão não houver

Então
Aspirar-se-ia  com ardor
Escutar uma  voz dizendo

Meu homem, meu amor
Minha mulher

16-12-2015




domingo, 13 de dezembro de 2015

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Esperando trem

Blues
Nevoeiro
Passarinho

No casulo
Bebe-se
Cafezinho

10-12-2015

Fotografia, dezembro de 2015














v

Beleza da preguiça

Derramas-te no ninho
Como a arte em desabafo

Petúnia
Dormes ao sol da tarde, entrelaçada

Lindamente desordenada
Como as gavetas de teu roupeiro

10-12-2015


terça-feira, 8 de dezembro de 2015

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Dívida de gratidão

Como anda sua demanda
Por valores que não imitam a moda...?

Afrouxe a gravata
Solte o vestido

Dobre à esquerda, na porta
Siga em frente por linhas tortas

Pegue a trilha da emoção
Onde coração leva pancada

Amigos, se poucos, que sejam de fé

Dores nas feridas
Nada de levar pra outras vidas

Sinto muito em lhe dizer

Se você nunca viveu uma paixão
Não vai dar, não

04-12-2015

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Academia

                    I

Seu Argemiro da Portela
Na mesa de bar

Responde pra Chico
Pra Vinícius

Não faço samba pra garrafa, agora
Porque não sinto nada por ela

                  II

Monarco a divagar
Se a mulher for embora
A gente faz um samba
E chora

                 III

Encontra uma mais bonita
Faz uma obra prima

                 IV

 No samba e no amor
Até sem querer
Brota uma rima

01-12-2015