domingo, 29 de janeiro de 2012

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

O livro da face

Ela está num relacionamento safadinho consigo mesma

26-01-2012

Agasalho do violão

Vestido solto pretinho
Alma de passarinho...

26-01-2012

Mais uma folha no tapete

Corta o vento, apesar do calor

Alio-me às outras folhas  no tapete
Pisoteia-me a aranha caranguejeira
Todos os passantes dizem: " Esta espécie não é venenosa"

Sei não, sei não
Venham pra cá, debaixo dela
No meu lugar

26-01-2012

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Tempero

Quando o ônibus deixa a estação, eu amanheço no interior de um túnel
De pronto, visto lentes escuras, escancaro assim meu desejo de retardar a alvorada

Parece um ritual de passagem esta visita à capital
O mormaço, sinto-o em cada esquina e minha pele acusa o que se sucederá com o asfalto
Meio ao ar condicionado, armo um teatro para a fervura das horas
Condimento os minutos com indecisões geminianas, enquanto o container sobre rodas segue seu curso...

25-01-12

domingo, 22 de janeiro de 2012

Curriculum Vitae

Fui pó, pedra e vidraça
Perdi e ganhei, quando amei
Fui o prazer, no cigarro e na cachaça

Grão, moinho, flor, depois espinho
Fui a praga no caminho

Aprendiz de pescador
Ardiloso, juiz e réu, já fui batom de meretriz

Tapete voador, engenheiro, emigrante, níquel do aço
No armazém, fui vendedor

Agora, na minha idade, quero carona na próxima nuvem
Rumo à uma nova tempestade

22-01-2012

sábado, 21 de janeiro de 2012

Alto mar

Duas páginas além do prefácio, uma eternidade
O vulto rouba a concentração

O "pensar" é urso faminto
Fabrica poções de desassossego
Viaja nas lacunas das ausências

O "pensar", tem horas que é navio
Sem permissão para o cais

21-01-2012

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Niágara

Debaixo da torneira o cacho refresca-se
Sob cenário violeta, os entre grãos assemelham-se a grutas
De onde emergem pingos de cristal

A uva tem o nome das cataratas, com uma doce vantagem

19-01-2012

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Água no rosto

Amanheço disperso
Desejo de verso
Aquele que ainda não fiz

Desejo o que claramente não vejo
As letras do sossego
Uma diretriz

18-01-2012

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Aguardem-na

Enquanto a cidade desperta, ela é determinada
Seu mundo é sua filha, depois a calçada
Nem lhe falem de academia, não é dia

Amanhã, talvez, supermercado
Tomara que ele não ligue, ela anda à toa

Seu trabalho, de repente, a levou pra Roma
Sentiu-se descartada, mas ela vai voltar pra Itália

Quer mostrar àquela gente
Que nasceu pra ser a Dona

17-01-2012

sábado, 14 de janeiro de 2012

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Desabafo

O pé de goiabeira conversa comigo, parece gente
Apesar da canseira, está fora de perigo
Diz-me: "Ando muito contente"!

Abafado, esse janeiro
Meus filhos sadios avançam para a idade adulta
Poluição, vândalos ou peste oculta
Nada estragará a colheita em fevereiro

13-01-2012

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Fora do baralho

Descola o troco "dos home"
Mata a fome que te ataca
Ordem do bruxo, lustra a ferramenta
Dribla o fracasso
Trono é cobiça,
Compra a ilusão, que o consumismo atiça e atiça

12-01-2012

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Breve

Que grande engano: desejar e sofrer
Pegar a estrada sem admirar a paisagem

Não bastassem os medos, do berço herdados
Adereços de uma trajetória vazia

Se a lua esconder-se, escuta a noite
A gente nem sabia que a sentia

Abrigue-se no manto do silêncio, a vida é um breve salto

04-01-2012

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

domingo, 1 de janeiro de 2012

Trindade

Aparece-me nos sonhos (frequentemente)
A vila de pescadores em Trindade

Lá dorme a praia do sono, vive a praia do meio
Há outras tantas lindas (majestosamente)
Até parece, não são elas de verdade

01-01-2012