quarta-feira, 29 de abril de 2015

Registro

Hesitei, porém disse ao sabiá
"Olha lá, já  voa o teu filhotinho"

Então, fotografei-o
Perto do ninho

29-04-2015

Fotografia, abril de 2015

terça-feira, 28 de abril de 2015

Baralho cigano

Esperança
Convida o destino para a dança

Palavra
Desperta a mente adormecida

Duas cartas na manga
Nos vendavais da vida

28-04-2015

domingo, 26 de abril de 2015

Intuição

No canto do olho esquerdo
Deixou-se tatuar uma lágrima

Encarou o espelho
Fez um pacto com a tristeza

Se escutasse um certo "siga por este caminho"
Não o seguiria

O tempo lhe ensinara a sorrir

26-04-2015

segunda-feira, 20 de abril de 2015

O parque

Chuva e outono
Tem tudo a ver

Ela vem pra lhe benzer
Ele se deleita no abandono

05-06-2014

Fotografia, abril de 2015

domingo, 19 de abril de 2015

Outono

V i o l i n o
........d..................................
..................l..........
...........a..........................
.................v..................
........i...........
...........V............................

19-04-2015

Vídeo: youtube



sábado, 18 de abril de 2015

Speranza

                      I
O verso inacabado
Parreirais

                     II

Piacere
Avere la testa nelle nuvolo

                    III

Die Flüsse
As vozes do mar

                   IV

Die Gesichtzüge, o cair do primeiro floco de neve
Sorprendersi

                    V

Profumo, maçã
Átomo, silêncio

                    VI

Il cuore
Tuo fuoco

                  VII

Os corais

18-04-2015


segunda-feira, 13 de abril de 2015

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Madmoiselle

Surdo calou
Cavaco chorou
Na Lapa de agora

É o fim, tamborim
Adeus samba, adeus festa
Gemeu a seresta
Nos braços da aurora

Virou o fio a fortaleza
Foi do luxo à pobreza
A meiga Isadora

Restou a poesia
Parceira do dia
Porque saudade é sem hora

08-04-2015

Aforismo XIV

Poema :

O poema é uma semente
Que pode, ou não, germinar

08-04-2015

terça-feira, 7 de abril de 2015

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Haicai

De vez em quando
Tem visita
Lagarteando*

*Do dialeto gaúcho, lagartear: ficar sem fazer nada, ao sol, de preferência
comendo bergamota (tangerina).

02-04-2015

Fotografia, abril de 2015

Cenapoema IV

Balançava a ilharga, docemente, passo a passo
Apoiava os calcanhares sobre um par de doze agudos centímetros

Dois dardos
Prontos para varar o peito de um homem

Ou de outra mulher

Esperançosas margaridas de abril
Por fátuos pensamentos, despetaladas

Bem  lhes quer
Mal lhes quer

Galgavam os saltos dela
A linha, por mim, imaginada

Fluía meu corpo, ausente
Enquanto seus pés tocavam a calçada

02-04-2015