quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Telúrica III

Da mandioca
Polvilho

Do milho
Fubá

Sem árvores não cai água
Que faz plantação brotar

26-02-2015

Verso estático IV

Como o insone na madrugada

Quando sai de casa e depara-se, na calçada, estupefato
Com uma corrida de quilômetro de arrancada entre duas baratas

26-02-2015

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Retalho

Despreze-se segundos
Minutos
Horas
A nequícia do dia

Jamais o obséquio da cena
O rastro de um poema
A fotografia

24-02-2015

Fevereiro de 2015

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Caliandra

Ela é com o ímã
Que pediu emprestado

O feitiço
Do meu pedaço extraviado

22-02-2015

Fotografia, fevereiro de 2015

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Porque o espanto?

Do tipo que gosta
Que a fêmea lhe manduque

21-02-2015

Além das molduras

As tardes foram criadas para nos derramarmos sobre amplas camas
De infinita largura

Para sermos íntimos da água corrente, das pétalas
Das banheiras
Seja qual for a estação do ano

O custoso andar das tardes foi moldado
Para que nos misturemos às pinceladas de Van Gogh
Façamos parte das fantasias de Modigliani

Ordens de silêncio, após o bater do meio-dia
Desrespeitar-se-iam, apenas, por gemidos afrodisíacos

As tardes deveriam enredar-se
Nas malhas dos sonhadores

21-02-2015


quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

MIC

.....................................M........................................
.......................F.....R....A...U...L...E...I...N.............
.....................................D.........................................
.....................................M...I..S...S..........................
................S...I...G..N....O...R...I...N...A..................
......................................I.........................................
......................................S..E..N..H..O..R..I..T..A......................
......................................E......................................
......................................L........................................
..........................D...Á....L...I...A............................
......................................E.......................................

11-02-2015

Fotografia, fevereiro de 2015

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Poemaéreo

O vento se embrenha pelo verde do vale

Traz a chuva
Que chega mansa, delgada, oblíqua
Ela vem, de mãos dadas, com o nevoeiro

Acontece, desse modo, na mudança das estações

No verão, em dias de mormaço, os pingos precipitam-se pesadamente
Assumem a forma de estalactites

Armas letais
Para as asas das borboletas

10-02-2015

Fotografia, fevereiro de 2015

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Verso estático II

Como casal de quatis em casa que tem piscina
Na espera, pra cair na água com os filhotes

Tão logo os donos viajem pra praia

09-02-2015

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Esparramadas

                                             I

Encanta-nos o devaneio
Porque vemos, nele, aquilo que gostaríamos de ser

                                             II

Assumir que não somos um Adônis, ou  uma Vênus
Poupa-nos de inútil fadiga

                                            III

Com o tempo, as fantasias fazem a gente piorar
Para melhor

06-02-2015

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Moeda incolor

$$$  Agá.....Dois.....Ó


04-02-2015

07-12-2005
15-04-2008
21-06-2009
05-06-2010
07-08-2011
12-02-2012
04-03-2014



segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Dia dois de festa

Estou ausente do mar
Uma questão de afazeres

Iemanjá mora no meu peito

A santa compreende meu momento quieto
Recebe as flores
Beja-me a testa

02-02-2015