sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Talvez

Talvez real
seu recanto

Talvez chore
a sorrir

Talvez me leve
de vez

Talvez me ensine
a voar

Talvez ser feliz
numa estrela

Talvez drama
comédia

Talvez dama
loucura

Talvez vida
na praça

Talvez noites
com anjos

Talvez sopro
nas almas

Talvez leia
mãos

Talvez levite
nas nuvens

Talvez livros
abertos

Talvez árvores
em desertos

Talvez eu pudesse
segredos

16-11-2009

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Interiores

Duvido
que você cultue a noite dos cristais
como se fosse uma primavera nazista

Você não precisa ser tão durona, tão artista

Necessitamos de música

Dependemos de uma lágrima sincera

Indesejados são alegorias e adereços
que destoem de um belo samba enredo

Por isso
lutamos contra os medos

26-02-2014


Sem leme

Destaca-se uma  folha do caderno
Dobra-se, moldando um barquinho
Solta-se no riacho
Não se sabe que destino terá

A poesia é assim...

26-02-2014

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Passo e meio

Quero alcançar as copas das árvores
Além delas
Mesclar-me aos distintos tons dos arrebóis

Quero sentir a chuva na face
Subir a cortina para a dança das estações

Quero mais
Adiante de onde mora o desconhecido
Para lá dirige-se  meu flanar

24-02-2013

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Amostra

Um trio de bravos guias
(Dois pingentes e um lacinho)
Bosqueja meu caminho
Seja à noite, seja ao dia

Quando a lua fica vermelha
(Ideal pra lobisomem)
A pele, em mim, centelha
Esqueço até do meu nome

Então, dou a cara pro perigo
Porque é a cor do meu abrigo

22-02-2014



sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Acasos da beleza

O boi bumbá despertou o ciúme na branca dália
Pendurado na vidraça
Atraiu o beija-flor pra dentro da sala

Como turista enfeitiçado, estático ficou o passarinho
A admirar o artesanato multicor

Foram eternos segundos
Até ele girar sobre si e partir num voo turbinado em direção ao verde
Pela metade aberta da janela

08-02-2010 e 21-02-2014

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Que cheiro terá

Dizem
Que as espanholas
De nome Dolores
Tem o perfume
De todas as flores

Jasmim
Os cortejos de rua
Em New Orleans

Nunca termina
O cheiro que se imagina

20-02-2014


terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Poema urbano II

Silencia, pulsa todavia
Inculca

Em cada esquina reluz uma afiada aresta

A cidade é um blues
Que flui pela femural

Todo vulto passante
Qualquer corpo adormecido
Carrega uma imagem que me desperta

18-02-2014

Fotografia, março de 2016



sábado, 15 de fevereiro de 2014

Tons

Estendendo-se além da mel- melancolia
Ausentam-se as matizes da natureza
A poesia não dança sem uma orquestra

Por isso
Não leve o reino dos adultos tão a sério

O encantamento
Parece habitar o brando mistério

15-02-2014

Fotografia, fevereiro de 2014

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Carta náutica

Musa do verbo amar
O barco que me navega
Não quer mais ancorar

Menina, mulher que para o samba corre
Leva-me na tua lembrança
Que de tristeza já tomei porre

Se tua memória estiver lotada
Se nos teus sonhos não couber nosso tempo

Mulher da pele bonita
Jogue meus versos ao vento

14-02-2014

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Dos compassos

Carvalho, penso eu
Escorre o suor sob a sombra da árvore nativa que me conforta

Visa o céu minha mira
Fixa-se em um fio de nuvem hiperbólico

Na copa de uma araucária
A gralha azul escancara o vocal

Pretensioso
Tomo como sendo pra mim a saudação da ave
A pressa da humanidade se rende

Haverá um tempo e um lugar
Onde  nem tudo será descartável

O afeto, muito menos

13-02-2014

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Instinto

Vejo todos os pubs do mundo
Um barman competente
Na íris, um flash a cada segundo
Moréias, piranhas, serpentes

Canalhas a granel
Uma noiva
Hordas de cafajestes

No Olimpo do lugar pressinto blues
Uma deusa morena à meia-luz
O melhor antídoto contra a peste

11-02-2014

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Balança

Desfazer as malas é ruim, só até o próximo fazer

10-02-2014

Folguedos

Lúdica
Em prosa e verso
À noite, na própria seiva
Ela folga

Insone, úmida
Até de manhãzinha
Verte em mim

Abre-se a valva em carmim
Rega-me e aos buliçosos dedos
Unge-me a pele a lava

Dá a vida a dádiva
Ao jardim de minha mão

10-02-2014

sábado, 8 de fevereiro de 2014

Amanhã, teu olhar

Sempre haverá um jeito, além de Paris
O ar cosmopolita de Marseilles

Um cavaquinho, partido alto, samba de breque
O sorriso de um moleque

Um povo que reaja, embora o Senado
Uma quitanda que tenha dinheiro trocado, embora os Bancos
E o que eles nos tem explorado

Uma mídia honesta, apesar dos favores
Uma comédia, depois dos horrores

Uma morte, um nascimento

Sempre haverá um jeito, mesmo parecendo não haver outro
Haverá teu olhar

08-02-2014

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Nico

O maestro soltou sua batuta
Que dia...

Tudo é temporário
Uma questão de reencontros
Vá em paz, Artista

07-02-2014

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Tambores do leste

Oferto-lhe alguns poemas
Escritos à mão

Acima dos trinta e três graus
As palavras navegam na jangada de Iemanjá

Haverá refúgio mais bonito
Do que em mares repletos de rios?

02-02-2014


sábado, 1 de fevereiro de 2014

O prazer

Quanto mais intensa a chuva
Maior a algazarra das cigarras
No início, pensei que elas protestassem

Quem nunca tomou banho de chuva no verão...

01-02-2014

Águas limpas

Serão negras pérolas, serão olhos
A enciumar as marcassitas...

Sábia guia dos labirintos
Quero a luz de teus poetas
Alquimia, palavras certas
Sorver lágrimas de absinto

Vou pedir à Iemanjá
Que me traga uma sereia
Com seu canto e um colar
Pra te enfeitiçar na lua cheia

15-04-2011 e 01-02-2014  **Pérolas negras desenvolvem-se, somente, em águas extremamente limpas.