domingo, 24 de abril de 2011

O mar e a mulher

O fundo do mar surpreende
Como a beleza da mulher

Também vaidoso
Quando claro, convida, se enfeita

Se opaco, esconde
Rejeita

Ambos gêmeos
Guardam profunda intimidade

O mar pelo  carisma
A mulher prima pela liberdade

O mar permite a descoberta
Mas tem uma linha de alerta

Ele traz peixes, Ela gera filhos

A lua, as marés, os ventos
São trilhos

Netuno diz
Que ao vento o mar obedece

O vento muda
O mar permanece

Segredos do mar são segredos de mulher

Ele mostra, se quiser
Ela conta pra quem quer

Igualmente amados, benditos complicados

O mar por ser mar
A mulher por ser mulher

24-04-2011

sábado, 23 de abril de 2011

Prescrição

Esbalde-se, de quando em vez
Com um(a) super cafajeste

Ele(a) será seu(sua) confidente
Para equilibrar a auto-estima

Faça bom uso, molde-o(a) do seu jeito
Até livrar-se do tédio

Ao terminar o tratamento
Jogue no lixo o remédio

23-04-2011

sexta-feira, 22 de abril de 2011

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Tic-Tac

As bobagens
A gente as diz e escuta para suportar as estocadas dos ponteiros dos segundos

20-04-2011

Cavaquinho

Senhora Alegria, como vai ser agora
Passa da hora, a madrugada precisa ir embora
E a melancolia teima em voltar

20-04-11

Das seriedades

Se forem pacotes pesados, jogue-os ao vento
Afinal, o que é que tem?

O vento é de todos
E é de ninguém

20-04-2011 e 02-05-2013

domingo, 17 de abril de 2011

Curta metragem

Embarquei na canoa
Escondestes os remos
Pincelei no tinteiro
A cartolina era tua

Eu abri o viveiro
Lacrastes a porta
Plantei uma árvore
Nem isso te importa

Saí pra boemia
Dançastes comigo
Dividi minha cama, sem querer uma dona
Mas o filme era antigo

17-04-11

Nevoeiro com chuva e........Puccini

O bolo(chocolate/baunilha) olha no fundo dos meus olhos

Eu disparo:

"Decifra-me, ou te devoro!"

17-04-11

sábado, 16 de abril de 2011

Quadro de rua

Vila MadalenAmsterdam, seis horas da manhã
O fato(anterior à meia-noite) envelheceu

Quem beija seus lábios incendeia
Agora, o som "Bomba Estéreo" colombiano

Miles Davis(no céu ou no inferno) jamais ao novo desatento
Os padeiros dormem, a banda acordes

"Ronda Noturna, século XXI", pinceladas de Rembrandt

16-04-11

Vodoo

Ela alfineta o boneco, o quarteirão estremece
"Bom dia, boa tarde e boa noite!", mútuas saudações

Breves diálogos sobre livros
Até hoje, não sei se ela me poupa...

16-04-11

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Águas limpas

Serão negras pérolas, serão olhos
A enciumar as marcassitas...

Sábia guia dos labirintos
Quero a luz dos teus poetas
Alquimia, palavras certas
Sorver lágrimas de absinto

Vou pedir à Iemanjá
Que me traga uma sereia
Com seu canto e um colar
Pra te enfeitiçar na lua cheia

15-04-11 **Pérolas negras desenvolvem-se, somente, em águas extremamente limpas.

Meireles

A oitava maravilha é a POESIA de Cecília

15-04-11

Presente de outono

Uma folha de Mominji dentro de um livro

15-04-2011



foto- Maio 2013
   



segunda-feira, 11 de abril de 2011

Rap dos canteiros

Diz aí, o que agita você

Van Gogh sem a orelha
Bolsa de grife
As coxas da mulata

Se você escala ou surfa
Se não é um destilado
A letra de um bom samba
Um sonho melecado
O seu novo catamarã

Pode ser um carro
Um loteamento fechado
Uma nova marca de cigarro

Diz aí, o que mexe com você
A alegria de uma creche
A agonia de um outsider
Uma ceva bem gelada

Se não é heroína
Na colher ou na TV
Diz aí, quem é você
Com o que que você se ocupa
Qual sua marca de chiclete

Um langerie que te acolha
Uma cachaça de rolha
Barba de quarenta e oito horas
Suas(eus) amigas(os) do minuto
O próximo inimigo

A final do campeonato
Como "aplicar" o seu elástico, pra tocar a vida em frente
A sua reciclagem de plástico

Apesar de ser um produto
De um próximo projeto
Você vai ser cremado(a)
Ou vai virar adubo

E tudo vai recomeçar
A partir de um dejeto

11-04-11

Segundas-feiras

Tenho coisas de menino
Vem a vontade de tomar o próximo ônibus, pra qualquer lugar

Haveria solução
Se ele não tivesse um destino

11-04-11

O sangue é o mesmo

Sou gaúcho por acaso, não vendo-me como tal.

Poderia ser catarinense, paraibano, paulista, judeu, carioca, italiano, belga, africano, amazonense, curdo, indiano...

Não tenho orgulho nem vergonha de ter nascido no meu estado.

Pertenço ao lugar que abriga gente boa, porque ruim tem em todo.

Meu pensamento viaja no passado, presente e futuro.

E minhas pernas não são de caranguejo. Nada contra o crustáceo que se move para os lados.

Eu gosto de caminhar para a frente, preferencialmente

11-04-11

sábado, 9 de abril de 2011

Gemetzel am Donnerstag

Wäre es besser nichts zu sagen
So furchtbar war

Wir trauen um die Kinder
Gäbe es ein Gott Ihnen nah

09-04-11

03:47 A.M. Phone Call

You ask me and I'm not pretending
Just don't know to whom my Hart belongs

But I know
When you dance it's like a Devil's pray

You make me rock all night long

09-04-2011

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Stormy Thursday

I

I'm not your love, your jail
I'm just your back door man tonight


II

Falsário
De mãos dadas com a caneta
Vai às ruas
Cata manhas da mutreta

Parece que se perdeu no mundo das fantasias
Na luz, vê breu
Morcego do dia

Que quer afinal, este --imortal-- projeto
Quer viver virtual no mundo concreto?

III

Por favor, senhora:
Traga-nos duas doses(duplas) de Jack Daniel's
A dama quer um Blues no Jukebox

Acomode-se, safada minha
Mais tarde, bem mais tarde, vai rolar aqui em cima da mesa

Se quiser, lhe sirvo o Champagne
Quem sabe cerveja

08-04-2011

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Madrigal

Generosa, por se deixar revelar

A poesia
Chega como flor que desabrocha de modo repentino

Insinuante,  vestida pra festa
Como você
Deixa ver apenas a espinha dorsal

26-09-2011

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Leitura

Excelente mestra é a palmeira de jardim
A muda resume-se a uma folha solitária, ligada a um caule fininho

Depois de assentada, requer muita água e calor
Em pouco tempo
A planta vai se espalhando pelo terreno.
Cresce viçosa, se regada com frequência

As folhas secas devem ser cortadas rente ao chão durante o verão
A medida que brotam as novas

Até parece que tem metabolismo de réptil, precisa de umidade pra trocar de pele

Ela é como o ser humano
Precisa se reciclar

06-04-11

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Paraibanas

O mar mancha a praia de esmeralda
Netuno brinca de pintor
Coqueirinho nasce colorida
Primeira filha, primeiro amor

A tela permanece inacabada
A natureza agradece, intacta
Quando a moldura liberta a beleza
Para o senhor dos mares criar Tambaba

01-04-2011