sábado, 31 de março de 2012

Ao entardecer

Tivesse eu a chave da felicidade
Abriria a porta

Entraria no bar com ar de quem se perdeu

Cheiraria teu cheiro na minha mão
A mão que não é mais minha

Mão que se move sozinha
Muito mais sabida que eu

31-03-2012

quinta-feira, 29 de março de 2012

Que dor, Millôr.

29-03-2012

Feitiço

Sua beleza, senhora
Inquieta o menino que com o mistério namora

Por isso, o menino não cresce
Docemente padece ao lhe ver indo embora

Encanta-se o homem, quando o menino lhe escuta
Parece trabalhador que labuta, fazendo carinho nas horas

29-03-2012

quarta-feira, 28 de março de 2012

Poema dos ( kkkkkk)s, dos ( hahahaha)s, dos (uhauhauhauha)s, dos(rsrsrsr)s e dos(iac! iac! iac!)s

Amamos políticos
São todos (sem exceção) honestos e competentes
Nos orgulhamos do Senado e da Câmara dos Deputados

29-03-2012

Marés

Será que essa onda volta
Será que fica por lá
Quem sabe encontre marisco
Carente de namorar

Mal outono se abriu
Partiu em busca de ilhas
Quer mar, quer suas armadilhas
Do mundo que ainda não viu

Será que essa onda volta
Será que manda mensagem(uma garrafa, um bilhete)
Anúncio de nova viagem...

28-03-2012

quinta-feira, 22 de março de 2012

quarta-feira, 21 de março de 2012

terça-feira, 20 de março de 2012

Dois pontos:

Solitude:
Calmaria camuflada

Felicidade:
Momentos de ondas

Oco:
Cheio de  vazio no recheio

Palavra:
Trapézio, sem rede de segurança

Amor:
Paixão medicada

Amizade (verdadeira) :
Amor refinado

Paz, Zap :

Ir
Quem sabe, voltar

20-03-2012

segunda-feira, 19 de março de 2012

domingo, 18 de março de 2012

Tijolos refratários

Waters dedilha, emergem monstros do fundo da churrasqueira
Não troco minha viagem por nada
O blues é de primeira

Sigo(da fumaça) a trilha
Pra onde ela vai, eu irei

De que você é feito, que não se emociona?
Seu emporcalhador de mares, carente de paz

Venha conversar comigo, antes que a sinistra cortina de sua fuligem encubra o sol
Ou será que está na hora de receber sua propina?

18-03-2012

Deixe gravado o máximo que puder deste lado do laboratório. Você só tem uma chance.

18-03-2012

Viver?

É caçar seu próprio rabo, desde o começo.

18-03-2012

sábado, 17 de março de 2012

Dos impulsos

Minha velha era doceira
Provava, aos poucos, na colher

Não seguia receita nenhuma
Acho que ela passou algo pra mim

17-03-2012

Loteria do amor

Acaso........caso...

Descaso.............ocaso

.........................acaso.....caso.........descaso.........ocaso

........................................acaso..........

17-03-2012

quinta-feira, 15 de março de 2012

Mar agitado

Essa coisa no coração
Anda muito complicada
Por causa do teu jeitinho
Namoro, agora,  a madrugada

Busco palavras na noite
Sobram rascunhos, papéis amassados
O corpo mal dormido
Acorda meio mareado

Durante o dia
Versos piratas inundam meu convés

Nos olhos teus, uma bússola
A poesia,  a teus pés

15-03-2012

terça-feira, 13 de março de 2012

Pergamenós

Há quem entenda nossas alegrias, nossas dores
Apesar de percorrerem diferentes caminhos

Há quem sonhe os mesmos sonhos da gente

Talvez, eles também se embrenhem pelas morosidades do tempo
Aventurem-se nas gêmeas velocidades dos ventos
É que eles trazem na pele análogos pergaminhos

13-03-2012

domingo, 11 de março de 2012

A pressa é inimiga do tesão

11-03-2012

Deixa a realidade pra mais tarde

Segunda feira, só se for depois da vírgula
O nome já diz: É de segunda
Até mar tá de ressaca
Não se faz feira nem pergunta

Na terça, sim! É o despertar dos profetas, dos covardes
O dia começa a partir da tarde

A quarta é do meio, uma nave semi-adernada
Quer saber se a madrugada
Ainda corre atrás do dinheiro

Quinta é cinco estrelas, categoria
Noite é dia
Um hotel, um bar aberto

Sexta feira, a gente é (no bom sentido) desonesto
Espera a percussão, para o dia seguinte nascer esperto

Nos sábados, deve-se perdoar quem trabalha toda semana
Quem é (in)fiel na cama

Saiu da chuva é pra secar

Domingos, a gente um pouco bebe, um pouco perde-se
Come a sobremesa ao luar

11-03-2012

sexta-feira, 9 de março de 2012

Além dos brinquedos

Você tem todo direito
De beber de todas bicas

É livre pra embaralhar meu samba
Esquecer sua natureza
Frequentar qualquer pagode
Curtir banda de rock
Tirar onda na nobreza

Finalmente, você sabe distinguir
Se é ou não um mito
A fantasia de encontrar
Seu peguéti favorito

Pode adorar seu próprio santo
Voltar chorando, sorrindo
Com seu encanto ou desencanto

Se, apesar de toda sua astúcia
Sobrar somente seu cachorro e o bichinho de pelúcia
Antes que você me acuse, olhe-se no espelho

Se eu transito indiferente, sou de carne que envolve osso
Como toda insensata gente

09-03-2012

quinta-feira, 8 de março de 2012

Canção das violetas

Há na casa uma caixa encantada(com uma pequena, misteriosa lâmpada embutida)

Há um segredo que é revelado
Sempre que se abre uma portinhola

Ao som de "La violetera", a senhora pergunta ao garoto:
"Gosta de vitrola"?

A resposta é tímida (um sim, com a  cabeça)
" Vai ter Bis" ! Diz a agulha pro prato

08-03-2012

quarta-feira, 7 de março de 2012

Vulto

Quando soltas teu cabelo, quem olha com olhos meus
E vê a tela mais preciosa da galeria

Quem tu chamas, quando não dormes
Toca teu corpo, sopra veludo em teus ouvidos

Quem alisa tuas mãos com minhas palmas
Quem é a cigana que te lê e me rouba a calma

Quem adormece, quando mentes
Acorda na madrugada pra olhar teu sono
Quem cuida de ti, mas não é dono

Nas noites, quando somes sem deixar o mínimo rastro
Quem pergunta: "Quando voltas"?

07-03-2012

O meu(vício) é ela

07-03-2012

Vinte minutos a pé

De cara, uma esmola
Na esquina um desfile
De crack e de cola

Os filhos poderiam ser os meus

Raiva, irmã da fome nas ruas
Matadouro na noite
Do Bom Fim ao Menino Deus

07-03-2012 *Bom Fim e Menino Deus são dois bairros de Porto Alegre.

domingo, 4 de março de 2012

De todas as épocas

Sonha-se com modestos jardins
Tratados com todo cuidado

Que a realidade, algo inédito e valoroso traria
Sonha-se com menos esnobes, menos pedantes

Em vez disso,
Achegam-se consumistas escravos, pobres de espírito Insignificantes

Sonha-se, a cada dia mais do que antes

04-03-2012

sexta-feira, 2 de março de 2012

Arte

Fora dela
Quase não há janelas

02-03-2012

Estrada dos sentidos

A mim parece tão claro
Prefiro trilhas noturnas

Que venha a loucura
Ser minha apimentada, doce namorada

Beijar-me a boca, mostrar a estrada

Por ela
Guardo ternura

Por este caminho do dia
Não sinto nada

Para a amargura
Não tenho paciência

Por isso
"Vida longa à demência"!!

02-03-2012

****

"Algumas pessoas nunca enlouquecem. Que vida horrível elas devem ter".
(Charles Bukowski)