terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Inspiração

Resolveu espairecer
Não sabe, se é nuvem
Se é algodão
Abelha, ou jasmim

Está de ressaca de versos
Etílico blues
Retornará sem anunciar-se
Talvez em avalanche

Transformar-se-á em vento, areia
Agasalho, mar
Azêmola na lua cheia
Em um nome próprio, quem sabe

Depois de você
Espero você

31-12-2013

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Antes do temporal

Tim! Tim!
Afagam-se em duelo os cristais na varanda
Rooor!
Da barriga do gato esparramado no assoalho

A rede verde-musgo balança morna
Parece-se com a plantação de erva-mate

O resto é o passado diluindo-se no ano

27-12-2013

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

sábado, 21 de dezembro de 2013

Brinquedinhos de Natal

Sistema de saúde perfeito
Educação, nem se fala
Saneamento básico completo
E
.............Aviões
à jato.............................
............de guerra..................

21-12-2013

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

domingo, 15 de dezembro de 2013

Ode à calmaria

Ao som de música africana
Desperta a morena, após o meio-dia

Espreguiça-se na imensidão da cama
Musical imagem no centro da guerra urbana

Será o coração doído, com o que a gente nunca sabe ao certo?
Serão desejos satisfeitos?
Acho que é muito mais simples, é o poema que diz:
"Hoje não vou trabalhar" !

15-12-2013

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Marijuana

Larguem o pé do Uruguay
Deixem de tanta ciumeira
Se lá a casa não cai
É porque fazem menos besteira

13-12-2013

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Buda

Se a filosofia oriental
Diz que a pessoa só é feliz
Quando cessa o desejo

Sou um ser humano infeliz
Quando te vejo

11-12-2013

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Simbioses

Há corpos de sereias
Atrás das cortinas e dos palcos
Como há nas fantasias dos marinheiros
Mais que nos desenhos de um mosaico

Há um nome de bem querer
Por debaixo de toda pele
Como uma palavra em brasa
Tem o seu tição que fere

Há lábios de uma mulher
Na nuvem que o oceano beija
Como no final do arco-íris
Descansa o tesouro que se almeja

05-12-2013

sábado, 30 de novembro de 2013

Viageiros

Sabe-se, ambos chegam e partem
Retornam e vão-se embora novamente
A felicidade e o amor parecem gente

30-11-2013

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

terça-feira, 26 de novembro de 2013

domingo, 24 de novembro de 2013

Voz do vento I

Vira, vira
Amor vira Roma
Vira mar, vira ano
Solta a bagagem, iça as velas

Nova peça
Atenção no palco, sobe o pano!

24-11-2013


quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Fábula III

Chamava-se João
Não era o sol do dia
Muito menos salvação
Apenas mais um humano, sem garantias

Dar-se-ia sempre o respeito
Valorizando o que lhe desse prazer
Se não gostassem do seu jeito
Que batessem em outra porta, que se haveria de fazer...

20-11-2013



terça-feira, 19 de novembro de 2013

Poder

.....Grão...após...grão..
Do hermético punho
Cai o milho sobre a trilha

Até a próxima encruzilhada
Onde aguarda-o  outra mão
Cujo codinome é armadilha

19-11-2013

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Poema solto

Por que limitar a criatividade
Se o rio flui em liberdade

Pra que enlatar o sentimento
Quando o verso nasce livre como o vento

Vírgulas pronomes pontos e acentos
São de alma isentos

Certas horas
é preciso dizer NÃO!

Aos regulamentos

18-11-2013


quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Chocolate

Você vai dizer que sou alienado
Porque não ligo para o imediatismo da cultura de massa

Será que o tempo dispara só pra mim?

Igual a você, viajo nele
Só que fiel ao samba, ao blues
Gosto do chocolate, quando ele se demora na boca

13-11-2013

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

domingo, 10 de novembro de 2013

Cais do porto

A cidade grita
A cidade se cala

Ela sufoca minha fala

Preciso partir

As ruas sussurram
Que é hora de ir

Amo a cidade
Mas, por enquanto

Ela nada mais me diz

10-11-2013


sábado, 9 de novembro de 2013

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Charco

Repousamos sobre o alicerce movediço dos vocábulos
Alguns mostram-se turvos, porém
São mercadorias
Vendem-se em brandas prestações
Para que recomecem nas compras seguintes as angústias

Das megeras palavras há fornecedores que, ao mesmo tempo, são clientes
Talvez, alguns embrulhem-nas em papel presente e enviem o pacote para si mesmos
Com felizes votos de: "Passagem em vão"!

Há aquelas que doam-se, para nosso júbilo e nossa sorte

05-11-2013

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Consiliu

Dor  de solidão é a mesma do desamor
Do amor mofado, da indiferença

Desnecessários são os conselhos

Apenas, precisamos sentir o que roça nossa pele
Seja espinho
Seja pétala

01-11-2013


Professor

Na dor, na doce melancolia
Na tristeza, ou na alegria

Sou mero observador
Aluno das cenas do dia

01-11-2013

terça-feira, 29 de outubro de 2013

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Morada

Minha vizinha
De quem não sei o nome

Abriga um ninho
Com vista para o firmamento

Copa de árvore
Não tem telefone

24-10-2013

Amor

É o instante em que passa a borboleta, levando um grão de pólen em uma das asas

24-10-2013

sábado, 19 de outubro de 2013

Casas abertas

Quem adotou o costume das "casas abertas" foi Vinícius de Moraes
Descansávamos sobre outros travesseiros nos tempos idos

Ídolos não eram "celebridades"
Silicone não era figurante
Por nada, não morria-se
Gente era palavra de amigo

Agora, somos doutos em eufemismos
Documentos sob as meias, desviamos dos abismos

Na esperança
De que as curvas tornem-se suaves e beijem as retas
Eu me grudo no alicerce dos saudosos, ainda vivos, poetas

19-10-2013

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Voando e cantando

Há um ansioso bem-te-vi na minha rua
Ele espera por um teto verde

A aleluia distrai o passarinho
Ela sabe disso, desde seus tempos de semente
Por enquanto
Ainda é um alicerce tirante a cinzento

Parece que a avezinha escolheu sua casa
Está esperando acontecer

18-10-2013

As cinzas das pós baladas

Fica assim, está combinado
Aventure-se em hipotéticos mares
Porque a realidade atrofia

Antes de um papo a dois, sem açúcar
Tipo de assessor de deputado..........(ou do próprio)
Prefira as putas às  "puras" companhias

Quem foi que disse, que romance é só pra "Alices"?
Que os "solitários" Robertos querem  um oásis em seus "desertos"?

Fica assim, está combinado
Se o sonho vem sem recheio
O doce de leite é cobiçado


18-10-2013

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Introdução ao surrealismo

Foro privilegiado, imunidade parlamentar
Auxílio moradia para deputados e juízes:

Dentre tantas "maravilhas", as mais fétidas

17-10-2013

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

O livro da face XXIV

Somos entes precisados de penumbra
Ela  pare o silêncio

14-10-2013

Asa delta

Um mendigo barbeia-se na rua com uma lâmina sem fio
Goiabas amam fevereiro
Saio a voar em março

Fere-se com fogos o garoto, nem é ano novo  (ainda)
Dentro do mar tem onda, que tem espuma de banheira na crista

Se as frases não fazem sentido, a existência não tem um
Duas melancias por cinco reais, cortamos as tampas na hora da compra

Fujo  num tapete voador de palavras

14-10-2013

domingo, 13 de outubro de 2013

Ritual III

Do ardor que nos percorre
Bebemos porres e mais porres
Até um ao outro descobrir

Beijo pálpebras, planícies, grutas, montanhas
Tateio a cor da paz, ao te despir

Tarde, se cochicha a hora
A gente  esquece-a, sem demora
Porque nosso desejo é repetir

13-10-2013

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Zombaria

Era ,,,,..............Rima..........................Vera.............Prima

Vera...........Era........................Prima,,,,,,,,,,,,,,,,Rima.........          

Runa,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,Vera,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,Prima,,,,,,,,,,,,,,,,Era

Prima,,,,,,,,,,,,,,,Vera,,,,,,,,,,,,,,,,,,,Rima......................Era......            


11-10-2013


Fotografia, setembro de 2016

Recado de uma senhora chamada Vida

"Sentir é mais importante que estudar"

11-10-2013

Foto, outubro de 2013
Foto: Sentir é mais importante que estudar

10-10-2013

Foto, outubro de 2013

domingo, 6 de outubro de 2013

Ipê-gente

Sorri pra mim
a jovem flor de ipê-roxo

Apesar de
estatelada no chumbo da calçada

Como poderia chorar,
se namora tal pano de fundo

E tem como algoz a chuva amante
a lhe banhar o corpo nu na madrugada

06-10-2013

Fotografia, outubro de 2013





terça-feira, 1 de outubro de 2013

Livres

Acontece a repentina orgia
Meio a névoa da madrugada
Ou na claridade do dia

Oriundas de lugares incertos
Letras mascaradas de anjos
Trazem água ao deserto
Regam o estéril espaço branco

Recém paridos
Os úmidos versos não tem dono
Uns vagam pelo mundo, satisfeitos
Outros amargam o abandono

29-09-2013

Foto, setembro 2013

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Confissões de um mau dançarino

Sempre gostei de piano-bar
Desses com um único e vasto balcão
Onde espaçosas e confortáveis poltronas, lado a lado, convivem

Prefiro ficar numa das extremidades, tendo a parede como vizinha
Acomodado de costas para ela
Se houver um espelho na parede, quem estiver a meu lado
Pode ver-se nele e observar o ambiente, nunca fui fã de espelhos

Um espaço pra dançar é imprescindível
Mas que seja minúsculo
Maior o espaço, maior a sensação de solidão
Mesmo que ele esteja povoado

Raro é o aconchego que proporciona um pequeno bar, quando a meia- luz impera
E
As palavras sussurradas enciumam-se das teclas do piano

26-09-2013


quarta-feira, 25 de setembro de 2013

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Espanhol-Kai

Un  beso jugoso
En su corazòn
Precioso

20-09-2013

Curiositate

Se você quer saber
Como constrói-se um país
Olhe com olhos de aprendiz

Interesse-se pela educação
Fale e escute a língua do povo
Sonhe os sonhos dos velhos
Abra as portas ao novo

Para sentir, se o país passa bem a bola
Dê atenção aos estudantes
Aos professores nas escolas

Conheça seus comandantes
De onde vem suas posses
Que "interesses" , na pátria, eles veem

Se ela pudesse falar
Você poderia imaginar a vergonha
Que a nossa pátria tem

20-09-2013

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Aluando

Invento um mar de brinquedo
Só pra ver  teu barco passar
Sou criança no escuro, sem medo
Natureza que quer versejar

Pirata, guardo teu mapa em segredo
Sou lua, pra quem quer namorar

Queiramos, ou não
És meu tesouro
Não há reino que possa negar

17-09-2013

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

sábado, 7 de setembro de 2013

Poematual

Que culpa tenho, se não sou gay ?
Que culpa tenho, se gosto de mulher ?

Se não gosto de sopa
Nem de comer com colher

07-09-2013

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

domingo, 1 de setembro de 2013

Destinatária(o)

Azoe
Um coração

Grafe ao seu amor
À mão


01-09-2013

Fotografia, agosto de 2013

O "pastor" da igreja

No altar prega  paz aos aflitos
Hábil voz que disfarça
Oculta a trama, a farsa
Sempre acompanhada de gritos

Desejoso em praticar um gesto nobre
O rebanho se rende, submisso
Ao avarento entrega parte do cobre
Atesta-se, então, o feitiço

01-09-2013


sábado, 31 de agosto de 2013

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Cai-cai

A caneta despreza o sono
Trabalha conforme a lua

Nem sente pena do dono
Quando quer, mostra-se nua

21-08-2013

Decocção

Entramos nas estradas vicinais
Quando a fim de calmaria

Aconchegantes paradouros
Paisagens muito iguais

Na via expressa do dia a dia
Voltamos para o micro-ondas
Em standby

21-08-2013



segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Pim!!

Parece som
Mas é a poesia
Que passa batom
Nos lábios de sua fotografia

19-08-2013

Fotografia, Lorena Pimenta, março de 2014

sábado, 10 de agosto de 2013

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Faces da moeda

"Blues era coisa de anjo caído"
Porque afastaria os negros da igreja

Uma linguagem de amor e sexo
Convite à umas belas cervejas

Um negro andarilho chegou na encruzilhada
Em troca do blues, sua alma vendeu

A lenda diz que foi para o Diabo
Eu penso
Quem comprou foi algum Deus

09-08-2013



terça-feira, 6 de agosto de 2013

Desprendimento

Brisa sumida
Que é feito de você

A saudade me castiga
Porque você não vem me ver....?

06-08-2013

domingo, 4 de agosto de 2013

Mensagens somente nossas

Eu sou pra ela
Ela é pra mim

Um sinal luminoso na tela
Somos um verde esperança possível

Uma espera laranja ausente
Um pálio branco off-line
Uma explosiva dupla vermelha ocupada

Somos duas senhas que podemos tudo
Mas não sabemos de nada

04-08-2013


sábado, 3 de agosto de 2013

Quadros

Não tem a Lapa
Mas sim o Van Gogh
Na esquina da Av. João pessoa com a rua da República

Bar open, vinte e quatro horas

Quando amanhece
A gente sabe que, um dia, volta

03-08-2013

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Ponto a ponto

Do sono
Que leva embora

Necessita-se, apenas
Algumas super sônicas horas

Depois
Retorna-se ao abandono

01-08-2013

terça-feira, 30 de julho de 2013

Sei que estou vivo

Quando escuto Rolling Stones
When Lisa Fischer rocks

Quando a guitarra de Buddy Guy lança chamas

Quando o blues me atravessa
When Little Walter blows his soul

Quando crianças brincam

30-07-2013

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Reforma política

Que o sonho de junho não seja a parte fraca
Não sucumba ante o futebol e o papa

26-07-2013

The Stones are Rolling yet

..............62.................1970....................80......................90

..................2000........................010..........................016(Cuba)...........

................020..............

26-07-2013 e  25-03-2016

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Quinta-feira

Quinta
Sem feira

Com eira
Com beira

Sem pinta
De quinta

25-07-2013

Varredor

É onda na praia meu verbo
Varre-me tiquinho a tiquinho
Meu verbo não sabe o caminho

Busca um pedaço de mim
Leva, meu verbo, me leva
Nas marés dos teus desalinhos

25-07-2012

terça-feira, 23 de julho de 2013

segunda-feira, 22 de julho de 2013

O livro da face XX

Nem dormia mais, de tão preocupado
Nasceu, e é um principe! kkkkkkkkk, até K657.876

22-07-2013

domingo, 21 de julho de 2013

A neve no Rio Grande do Sul

Tem gente que ainda duvida
Mas é um baita escarcéu
Noventa e nove vírgula nove por cento dela vem da mídia
Zero vírgula um por cento cai do céu

21-07-2013

sexta-feira, 19 de julho de 2013

PoeMania

Se no bar
Me perguntam por você
Sorvo um gole e desconverso

Digo: "Faz tempo que não chove"
Que o garçom anda disperso

Que orquídea negra é flor rara de colher

19-07-2013

quarta-feira, 17 de julho de 2013

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Decorpoema

Pintarei meu ninho de branco
qualquer dia desses

Nas paredes e no teto, em vez de espelhos
poemas

Entre um gole e outro de vinho, num simples percorrer de olhos
Lerei  versos em negrito

Uma mesa de sinuca servirá de companhia

Alçarei voo
rumo a desconhecidos continentes

Enquanto encesto a bola sete na caçapa

15-07-2013

Ainda vou pintar meu ninho de branco
Escreverei poemas nas paredes e no teto

Vou colocar uma mesa de sinuca no centro da sala
Entre um gole e outro, leio versos em negrito
Enquanto encesto as bolas na caçapa
16-07-2013

sábado, 13 de julho de 2013

Manhã de ser

Porque
Em tons de cinza são as pinceladas
Porque
A tela está molhada
Porque
Os olhos no cérebro cochilam

A moldura tem pouco a dizer

13-07-2013


quinta-feira, 11 de julho de 2013

terça-feira, 9 de julho de 2013

Cenário

Sobe a veneziana
O palco é uma gelada cortina de voile

A atriz é a luz
Parece dar às coisas um sentido

Há uma vidraça que filtra carícias
Beijos frios são censurados

O sol aquece-os
Como se há muito
Das janelas íntimo fosse

09-07-2013

sábado, 6 de julho de 2013

Consequência

Como se apagasse tatuagens
Descartei alguns poemas

Desarvoraram-se em mim
Domingueiros

O que não se define, corre ao meu encalço
Quer esfaquear o feiticeiro

06-07-2013


Engraçado

Não, o modo de vida dos políticos no Brasil
Não é nada engraçado

Engraçado é ver o Tarzan pelado
Atravessando o deserto
A nado

Com as mãos nos bolsos

06-07-2013

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Matéria-prima

A inútil esfera do rolamento esquerdo
Do cano de descarga de um carro sucateado
Cujo volume é calculado
Através da fórmula, que se baseia na tese
Do labirinto do Minotauro
E
O trilar do grilo
Servem para o poema

04-07-2013


Perfeição

Se o verso vem certinho demais
Vira-se pelo avesso

04-07-2013

segunda-feira, 1 de julho de 2013

O livro da face XIX

O futebol funciona como um tapete
A gente empurra o medo de mudar pra debaixo dele

01-07-2013

Pão dos pés

Gente deseducada
No trânsito,  na calçada

Cachorro abandonado
Um assalto em cada esquina
Numa delas, um namorado

A menina dos correios não dá bola
É  dona da esperança sem fim

Faltam cartas de amor na sua sacola
Ela sonha com colibris nos jardins

01-07-2013



domingo, 30 de junho de 2013

Ajustes

Em preto sobre fundo branco
(Des) conserto
Meus passos, meus versos mancos

30-06-2013

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Tempos de gado

Há uma casa na esquina
Outra ao lado dela colada

A construtora compra a primeira
Pra segunda ficar embretada

28-06-2013


quinta-feira, 27 de junho de 2013

terça-feira, 25 de junho de 2013

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Refluxo

Por natureza, o sistema é perverso
O poder encarrega-se  de torná-lo indigesto

24-06-2013

domingo, 23 de junho de 2013

Caranguejos no cesto

Quando despertares
Tuas melhores amigas serão as vozes das ruas

Escalarás as bordas do cesto
Até te tornares uma semeadora de estrelas

Então, teus filhos sonharão além das serras
Serenas serão tuas madrugadas

Paz reinará nas estradas

Livres
Dos que mancham tua terra

De namoro com o tempo
Verás que ele não te abateu

Porque um mero "caranguejo"
A garra no teu calcanhar prendeu

23-06-2013

Senhores da guerra

Vocês fabricaram as bombas
Com todos os seus estopins

23-06-2013

sábado, 22 de junho de 2013

quarta-feira, 19 de junho de 2013

O novo

Vou por entre ruelas
Abrindo e fechando o guarda-chuva

Folhas estão espalhadas pelo chão
Desvinculadas das árvores, umas ainda são verdes, outras amarelas e algumas marrons
Elas revigoram-se com a água

Vejo nelas as pessoas que ocupam as ruas
Não são versos que as movem, mas sim a indignação
Estão cansadas de tantas mentiras, tanto desrespeito, tanta safadeza

Seguem na marcha,  desatadas de partidos, como as folhas
Seus gritos ecoam pelas cidades, pelas estradas, pelos campos
Abraçam  uma única bandeira, a do seu país

19-06-2013


Brasil, junho de 2013

Era uma vez, há muitos anos atrás, no tempo em que existia política partidária.....

19-06-2013


Pátrialma

Embora não aparente, amo muito minha pátria
Ela sabe dos meus, como eu sei
Dos seus defeitos

Por mais que tentem estragá-la, não deixo de amá-la
Tão manchada pelos colarinhos, a minha rainha

Que sejas sempre como uma poetisa, cercada de bons músicos
Em todos os dias; esteja eu ausente, ou presente
Pátria minha

02-02-2009.................19-06-2013


domingo, 16 de junho de 2013

Otário brasileiro

Paga as contas e se ferra
Honesto senhor, bom caráter
Com os impostos você se arrepia
Nasceu aqui, entrou numa fria

Na política, só serpente
Gente vivendo de sujo trôco
Você pensa que está louco

Bem-vindo ao lar doce lar
O último golpe rola na tela
Tranca o rango no bucho
Ou vai vomitar na janela

Volta quietinho pra sala
Manda os filhos pro quarto
Amanhã será um novo dia
Vai trabalhar! Vai votar! Vai pagar o pato!

0l-05-2012 (dia do trabalho) e 16-06-2013

sábado, 15 de junho de 2013

Ou, não joguem

Tapinhas nas costas
Sorrisos, como os dos nossos políticos
Falsas gentilezas

Teatro dos descasos
Das safadezas
Façam suas apostas, senhores!

15-06-2013

terça-feira, 11 de junho de 2013

Vitrais de Lis

Flama...........................inflama.......................se inflama
Jazz, canto, encanto, luz da semana

Nuvem, teatro, cisne, cinema, emblema....................Ipanema
Dorme desperta trabalha..............................vira chama

Clara, claridade é nome de quem...........................ama
Angela, Rita, Maria................................................Ana

Esperança, saudade, como se chama?
Doce lágrima, Nara, ...........................um nome bacana

.......................Lis...................Elis......................Elisama

11-06-2013

segunda-feira, 3 de junho de 2013

sábado, 1 de junho de 2013

Domingos de junho

Não é preciso ser atleta
Pra encontrar moça bonita, um arco íris
E
Passear de bicicleta

01-06-2013

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Das mitologias

Cigana
Lavorazione nostra

Dançarina, ventre serpente
Brasa flamenca

Quando teus olhos beijam o ocaso
Ponho-me a versar

24-05-2013

quarta-feira, 22 de maio de 2013

segunda-feira, 20 de maio de 2013

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Trilhos

Diz-se, idade é questão de cabeça
Onde o tempo solta e prende as amarras

Deve ser para que a gente não esqueça
Que o danado é como um trem que dispara

15-05-2013


Bianca II

Do tipo solitária
Não uso perfume
Chamam-me de Camélia

15-05-2013


Foto: maio 2013
Foto: Do tipo solitária
Não uso perfume
Chamam-me de Camélia

maio -2013

Poema do Não

Poesia não põe comida na mesa
Não paga as contas
Não serve pra nada

Por isso
Não dá pra viver sem ela

15-05-2013

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Elevador lotado

O carro entra na garagem
No FM, Winehouse dá o melhor de si
Gosto dela, de Janis Joplin e sei o porquê

Conversa de elevador:
"Pena, ela era muito louca"

Quem são os "loucos", afinal?
Poucos manifestam-se num elevador lotado

As "loucas" cantam nossas vontades
Carregam a nobreza dos mutilados

O sol desce tão depressa
Para reflexões, não há tempo

Lá fora, o mundo me chama

A porta do apartamento já bateu
Os pneus tocam o asfalto

Amanhã é o futuro

10-05-2013

Mãe

Nem havia despontado a primavera

Partiste
Atendendo a  um chamado dos caminhos floridos

Se eu pudesse mudar as estações

Traria incontáveis verões
Aos teus sonhos banidos

10-05-2013

quinta-feira, 9 de maio de 2013

O livro da face XIV

Relação que dá muito certo:

Burguês, que aspira ser comunista
Com
Comunista, que aspira ser burguesa

09-05-2013

quarta-feira, 8 de maio de 2013

terça-feira, 7 de maio de 2013

Das dores que não são dores

Há mulheres
Que se parecem com certas flores
As quais, nunca vimos antes

Quando passam pelas calçadas
Gostaríamos de ser íntimos delas

07-05-2013

Foto: maio 2013

segunda-feira, 6 de maio de 2013

O livro da face XII

Você insiste em saber o porquê

Ela lhe deletou
Porque geminianas detestam pessoas de lento raciocínio

06-05-2013

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Poema sem título I

Cerram-se as pálpebras sobre os olhos do verão
Eólicos dedos, slideorgasmos

Há flores no seu vestido
Você geme  Blues

01-05-2013

sábado, 27 de abril de 2013

Discernimento

À pessoa que só lhe critica
Pergunte,  se ela é capaz de criar...

A quem só lhe elogia
Agradeça, mas é bom duvidar

27-04-2013


sexta-feira, 26 de abril de 2013

Pergunta de rochedo

Porque te zangas
Se dentro de ti vivem sereias
Se esparramas sonhos nas areias

.....................?

Se sou a escura prata que te adorna
Porque te zangas
Se a lua cheia é quem abranda tuas formas

26-04-2013

terça-feira, 23 de abril de 2013

Águapoema

Cabeça baixa, olhos ausentes
Mergulho no ventre da mesa
Ato frugal de "contemplar" o desconhecido

"O incógnito nos enlouquece"!
Benta seja esta  loucura
O conhecido é que nos torna doentes

Desmembra-se o poema
Recusa o anonimato, é sua vocação

O poema é braço de rio, esparrama-se pela mão
Seus dedos são afluentes que apalpam os solos
Acariciam margens
Colhem beijos dos córregos, para ofertá-los ao mar

23-04-2013

quinta-feira, 18 de abril de 2013

terça-feira, 16 de abril de 2013

O livro da face XI

Alguns "comunistas de boutique" no Brasil
Brindam agora, satisfeitos e  aliviados, ao atentado em Boston

Porque, naquele instante,  seus filhos encontravam-se em Miami
Fazendo umas comprinhas...

16-04-2013

Poemaéreo

Quando o vento encana pelos verdes dutos do vale
A chuva chega mansa, delgada, oblíqua

Ela vem de mãos dadas com o nevoeiro
Acontece, assim, na troca das estações

Durante o verão, em dias de mormaço, precipita-se pesadamente
Os pingos assumem a forma de estalactites

Quase mortais
Para as asas das borboletas

16-04-2013

domingo, 14 de abril de 2013

quinta-feira, 11 de abril de 2013

terça-feira, 9 de abril de 2013

O livro da face X

Depois das "últimas" trocas das próteses de silicone nos seios
Por motivos fúteis

Senhora Celebridade
Seus fãs  desejariam saber
O que restou de natural em você

09-04-2013

quarta-feira, 3 de abril de 2013

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Vindita

Maltratado, o fiapo de unha
Fez inchar o dedão do pé

À inflamação, em testemunho, deu-se fé
De abcesso brindaram-lhe como alcunha

01-04-2013

sábado, 30 de março de 2013

Pergunte-me...

"Se poesia não dá dinheiro, como você faz pra sobreviver"?

Pergunte-me
Como é sem ela...

30-03-2013

sexta-feira, 29 de março de 2013

terça-feira, 26 de março de 2013

segunda-feira, 25 de março de 2013

Delgadas, torneadas

Perdoem-me as americanas do sul,  do norte e do centro, mas as pernas mais belas pertencem às holandesas

25-03-2013

sexta-feira, 22 de março de 2013

sábado, 16 de março de 2013

Curto relato

Queixam-se os holandeses: "Inverno duro e prolongado"
Apesar disso, são prestativos e simpáticos

O frio castiga, mais ainda, nos países vizinhos

Para mim, que cheguei agora
A neve se parece com algodão, quente e doce
Vai ver, porque hoje é sábado
Como diria um conhecido dos brasileiros

16-03-2013

terça-feira, 12 de março de 2013

segunda-feira, 11 de março de 2013

quarta-feira, 6 de março de 2013

sábado, 2 de março de 2013

Tatuagem

Recatada,  nos teus vales, me acobertas
Hidratas-me,  etérea

(Des) contrais, quando eu te adjetivo

02-03-2013


quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Das culpas

O latro mais penoso é aquele que a gente carrega
Sem ser, por ele, responsável

Até dar-se conta disso

26-02-2013

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Sonho de consumo

Paixão é mar de ressaca
Virado de ventania

Furacão maquiado
Tem curto prazo de garantia

Amor vem da mesma pipa, mas é diferente
Enquanto mel,  ganha salvo conduto
Hospeda-se na carne e na mente

Simplesmente fruto, não mostra descarte
Nem veste disfarce
De qualquer grife ou mero produto

19-02-2013


Curta, rica e pobre história

Desfez-se de seus bens materiais

Por opção, foi morar na rua
Então, ele(a) não lhe quis mais

19-02-2013

domingo, 17 de fevereiro de 2013

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

O sentido das coisas

"O trabalho liberta"!
Está escrito no portão de entrada de Auschwitz

"Liberta, o trabalho"?
Pergunta uma estátua no centro histórico de Antuérpia

14-02-2013

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

domingo, 10 de fevereiro de 2013

O livro da face VII

Se você está de baixo astral
Não ponha a culpa no carnaval

10-02-2013



Mistério

Tem dias, o verso migra
Feito acampamento cigano

Vai pra pertinho do teu colo
Ser ninado em samba enredo

Volta em forma de pagode de raiz
Fazendo cara de segredo

10-02-2013