terça-feira, 29 de outubro de 2013

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Morada

Minha vizinha
De quem não sei o nome

Abriga um ninho
Com vista para o firmamento

Copa de árvore
Não tem telefone

24-10-2013

Amor

É o instante em que passa a borboleta, levando um grão de pólen em uma das asas

24-10-2013

sábado, 19 de outubro de 2013

Casas abertas

Quem adotou o costume das "casas abertas" foi Vinícius de Moraes
Descansávamos sobre outros travesseiros nos tempos idos

Ídolos não eram "celebridades"
Silicone não era figurante
Por nada, não morria-se
Gente era palavra de amigo

Agora, somos doutos em eufemismos
Documentos sob as meias, desviamos dos abismos

Na esperança
De que as curvas tornem-se suaves e beijem as retas
Eu me grudo no alicerce dos saudosos, ainda vivos, poetas

19-10-2013

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Voando e cantando

Há um ansioso bem-te-vi na minha rua
Ele espera por um teto verde

A aleluia distrai o passarinho
Ela sabe disso, desde seus tempos de semente
Por enquanto
Ainda é um alicerce tirante a cinzento

Parece que a avezinha escolheu sua casa
Está esperando acontecer

18-10-2013

As cinzas das pós baladas

Fica assim, está combinado
Aventure-se em hipotéticos mares
Porque a realidade atrofia

Antes de um papo a dois, sem açúcar
Tipo de assessor de deputado..........(ou do próprio)
Prefira as putas às  "puras" companhias

Quem foi que disse, que romance é só pra "Alices"?
Que os "solitários" Robertos querem  um oásis em seus "desertos"?

Fica assim, está combinado
Se o sonho vem sem recheio
O doce de leite é cobiçado


18-10-2013

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Introdução ao surrealismo

Foro privilegiado, imunidade parlamentar
Auxílio moradia para deputados e juízes:

Dentre tantas "maravilhas", as mais fétidas

17-10-2013

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

O livro da face XXIV

Somos entes precisados de penumbra
Ela  pare o silêncio

14-10-2013

Asa delta

Um mendigo barbeia-se na rua com uma lâmina sem fio
Goiabas amam fevereiro
Saio a voar em março

Fere-se com fogos o garoto, nem é ano novo  (ainda)
Dentro do mar tem onda, que tem espuma de banheira na crista

Se as frases não fazem sentido, a existência não tem um
Duas melancias por cinco reais, cortamos as tampas na hora da compra

Fujo  num tapete voador de palavras

14-10-2013

domingo, 13 de outubro de 2013

Ritual III

Do ardor que nos percorre
Bebemos porres e mais porres
Até um ao outro descobrir

Beijo pálpebras, planícies, grutas, montanhas
Tateio a cor da paz, ao te despir

Tarde, se cochicha a hora
A gente  esquece-a, sem demora
Porque nosso desejo é repetir

13-10-2013

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Zombaria

Era ,,,,..............Rima..........................Vera.............Prima

Vera...........Era........................Prima,,,,,,,,,,,,,,,,Rima.........          

Runa,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,Vera,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,Prima,,,,,,,,,,,,,,,,Era

Prima,,,,,,,,,,,,,,,Vera,,,,,,,,,,,,,,,,,,,Rima......................Era......            


11-10-2013


Fotografia, setembro de 2016

Recado de uma senhora chamada Vida

"Sentir é mais importante que estudar"

11-10-2013

Foto, outubro de 2013
Foto: Sentir é mais importante que estudar

10-10-2013

Foto, outubro de 2013

domingo, 6 de outubro de 2013

Ipê-gente

Sorri pra mim
a jovem flor de ipê-roxo

Apesar de
estatelada no chumbo da calçada

Como poderia chorar,
se namora tal pano de fundo

E tem como algoz a chuva amante
a lhe banhar o corpo nu na madrugada

06-10-2013

Fotografia, outubro de 2013





terça-feira, 1 de outubro de 2013

Livres

Acontece a repentina orgia
Meio a névoa da madrugada
Ou na claridade do dia

Oriundas de lugares incertos
Letras mascaradas de anjo
Trazem água ao deserto
Regam o estéril espaço em branco

Recém paridos
Os úmidos versos não tem dono
Uns vagam pelo mundo, satisfeitos
Outros amargam o abandono

29-09-2013

Foto, setembro 2013
Foto: Livres 

Acontece a repentina orgia
Meio a névoa da madrugada
Ou na claridade do dia

Oriundas de lugares incertos
Letras mascaradas de anjo
Trazem água ao deserto
Regam o seco espaço em branco

Recém paridos
Os úmidos versos não tem dono
Uns vagam pelo mundo, satisfeitos
Outros amargam o abandono

29-09-2013

Foto, setembro 2013