sexta-feira, 14 de março de 2014

Mil palavras

Um sino sem badalo
A catedral sem altar
O oceano sem peixes
Os pulmões sem ar

Um túnel sem luz
A criança sem ninar
Um bem sem carinho
Um boêmio sem bar

Uma pessoa sem face
A praia sem areia
O poeta sem poesia
O sangue sem a veia

Uma casa vazia
A pergunta sem porque
Um barco sem leme
Sou eu, sem você

14-03-2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário