terça-feira, 1 de abril de 2014

Quase humana

Entraja meu corpo
O estampado do tecido
Entre meio-fio e calçada
(Sobre) vivo

Vistosos pingentes
Ornamentam os braços
Me pego contente
Se depreendem meus traços

Serva do vento
Sou verde, sou prata
Minha droga é o movimento
Pra carência de mata

01-04-2014

Fotografia, março de 2014

Um comentário:

  1. Poesia é voar fora da casca- Manoel de Barros- O livro das ignorãças

    ResponderExcluir