sexta-feira, 6 de março de 2015

A ponte

Ele renascia a cada toque nas teclas
Naquele sofá

Sono agitado
Efeito rebote dos anestésicos

Vestia boina de lã
Sorrisos e frases desconexas
Era o seu galope no pseudo-transe

Nas suas prosas com algum druida descobrira a fórmula da paz

Depois da travessia, as novidades seriam promissoras
Precisava de um sanfoneiro a banda do lado de lá

06-03-2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário