quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

poeMar

Onda que avança e varre a praia
Traz consigo todos os ventos
É coração em descompasso

Ninguém sabe seu destino
A espuma nunca conta pra onde vai

Quando recua, confunde as vontades da gente
Borra os sonhos desenhados na areia

Depois some
Pra embalar-se além da rebentação

Vai fazer serenata pra aurora
Copular com o crepúsculo

Ela é  maré de orgasmo
Nela a poesia me navega

09-01-2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário