sábado, 8 de agosto de 2015

Da tristura ao desfastio

Aprisionamos lágrimas
Em algum esconderijo noturno

Inconveniente é o sol
Quando fende a calma da aurora

Reunimos nossas palhas
Esparramadas por este falso chão

E, de repente
Nos reencontramos recompostos
Em uma dobra de esquina qualquer

08-08-2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário