quinta-feira, 2 de abril de 2015

Cenapoema IV

Balançava a ilharga, docemente, passo a passo
Apoiava os calcanhares sobre um par de doze agudos centímetros

Dois dardos
Prontos para varar o peito de um homem

Ou de outra mulher

Esperançosas margaridas de abril
Por fátuos pensamentos, despetaladas

Bem  lhes quer
Mal lhes quer

Galgavam os saltos dela
A linha, por mim, imaginada

Fluía meu corpo, ausente
Enquanto seus pés tocavam a calçada

02-04-2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário