sexta-feira, 20 de maio de 2011

Passarela

I

Atrás das cortinas, infinitos palcos
Momento foi aquele: Luzes acesas, casa cheia
Você inteira nele

II

Com seu pisar na passarela
Eu, que era basalto
Virei a vela
Rumo ao mar alto


III

Você ergueu minha cabeça
Seus lábios colaram-se aos meus
Fiz dos meus braços seu colo
A noite deixou de ser museu

20-05-11

Nenhum comentário:

Postar um comentário